MENU

Governo descarta surto de meningite entre foliões em hotéis na Bahia

Governo descarta surto de meningite entre foliões em hotéis na Bahia

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 9:15

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), os sete casos de meningite C que resultaram em três mortes durante uma semana em Costa do Sauípe, no Litoral Norte da Bahia, já são considerados um surto da doença. No entanto, a Vigilância Epidemiológica do Estado descartou a possibilidade de ter havido disseminação entre os foliões que participaram do Sauípe Folia, micareta indoor realizada de quarta (7) a sábado (10) nas instalações dos hotéis de luxo do complexo turístico. Grandes nomes da axé music se apresentaram para baianos e turistas. Como medida preventiva, a Secretaria informou que cerca de 1.800 pessoas que estiveram em Costa do Sauípe neste período receberam medicação para bloquear o surgimento de novos casos.

A Sesab afirma que os casos da doença não têm relação com a festa e nenhum hóspede foi contaminado. “Assim que os casos foram confirmados foi comunicado tanto à organização do evento quanto à administração do complexo”, afirma o coordenador da Vigilância Epidemiológica. Ainda segundo ele, os funcionários que foram contaminados pela meningite meningocócica do tipo C não mantinham contato com os hóspedes porque atuavam em funções internas e, por esse motivo, a festa não foi interrompida.

Quatro homens, entre 22 e 25 anos, permanecem internados com a doença no Hospital Couto Maia, em Salvador. De acordo com a Secretaria de Saúde, um desses pacientes está em estado grave.

As mortes foram registradas na quarta (7), sexta (9) e sábado (10). A mulher tinha 54 anos e os dois homens, 20 e 23. A administração do complexo turístico informou que os três funcionários que morreram eram moradores dos municípios de Mata de São João, Camaçari e Entre Rios. Os quatro pacientes que permanecem internados residem em Mata de São João.

Sintomas

A meningite é transmitida por gotículas da saliva e por contato humano. Por isso, é preciso redobrar o cuidado nas estações frias, quando as pessoas ficam mais tempo em ambientes fechados.

Segundo a Anvisa, os sintomas da doença são febre alta abrupta, dor de cabeça intensa e contínua, vômitos em jato, náuseas, rigidez no músculo da nuca, ombro e costas, falta de apetite, dores musculares e agitação física e mental, além de manchas vermelhas na pele. Crianças com menos de um ano podem sentir moleira tensa ou elevada, irritabilidade, inquietação com choro agudo, rigidez corporal com ou sem convulsões.            

veja também