MENU

Governo faz licitação em janeiro para compra de 8 barcas

Governo faz licitação em janeiro para compra de 8 barcas

Atualizado: Quarta-feira, 7 Dezembro de 2011 as 3:33

Ao Centro, secretário Júlio Lopes fala sobre

acidente com barca no Rio (Foto: Lilian Quaino/G1) O secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, anunciou para o mês de janeiro do ano que vem a abertura de uma licitação para a compra de oito barcas para melhorar a capacidade de transporte de passageiros na linha Rio-Niterói.

"Estamos finalizando entendimentos com o Banco do Brasil para um empréstimo de R$ 350 milhões para uma licitação em janeiro. A ideia é adquirir oito embarcações, seis com capacidade para dois mil passageiros e duas para 500" disse ele na tarde desta quarta-feira (7), após a audiência pública na Assembleia Legislativa, no Centro do Rio, que debateu o acidente com o catamarã Gávea 1 .

No dia 28 de novembro, o catamarã bateu num píer desativado da estação das barcas da Praça XV e 55 passageiros se feriram.

O secretário disse ainda que, como o prazo entre a licitação e a compra das novas barcas pode chegar a 24 meses, estuda também a possibilidade de alugar embarcações para aumentar a frota até o primeiro semestre do ano que vem. Ele não sabe ainda quantas barcas poderiam ser alugadas, segundo disse.

Sobre o acidente com o Gávea 1, Júlio Lopes disse que à secretaria, como poder concedente, cabe zelar para que a população tenha o melhor serviço, mas a operação desses meios de transporte é da Agetransp.

"Mas não podemos negar os avanços. Melhoramos as plataformas de embarque no Rio e em Niterói e melhoramos a performance da pontualidade", disse.

Barcas multada

Na audiência com os deputados nesta quarta, Luiz Antonio Laranjeira Barbosa, conselheiro-presidente da Agetransp, disse que a Barcas SA já foi multada em R$ 3 milhões desde 2002, e deixou de pagar mais de R$ 700 mil, que estão sendo analisados pela Dívida Ativa do estado.

Este ano, disse ele, já foram abertos 12 processos contra a empresa e nos últimos dois anos foram aplicadas 11 multas por atrasos e problemas técnicos.

"Eu mesmo vi na estação Araribóia, em Niterói, apenas um guichê funcionando para o Bilhete Único. Pedi que a situação fosse melhorada para não ter que abrir mais um processo", contou.

Hugo Jorge, diretor-executivo da Barcas SA na

audiência com os deputados

(Foto: Lilian Quaino/G1) Transporte seguro

O diretor-executivo da Barcas SA, Hugo Jorge Quiroga, por sua vez, disse que o transporte pelas embarcações da concessionária é um dos mais seguros.

"Em 2010 tivemos 64 ocorrências em quase 80 mil viagens. Este ano, até o início de maio, em 27 mil viagens registramos 11 ocorrrências", disse ele aos deputados da Comissão de Transportes.

Em números, o diretor-executivo mostrou aos deputados o trabalho da concessionária: 29 milhões de passageiros transportados e 629 mil quilômetros percorridos ao ano, "mais de 15 vezes a volta ao mundo", calculou ele.

Hugo Jorge convidou os deputados a visitar e conhecer a empresa:

"Sendo uma concessionária, a responsabilidade não é só da Barcas, mas de todos".

Na manhã desta quarta,  Júlio Lopes, disse  que acidentes como o do catamarã Gávea 1, que no dia 28 colidiu com um píer na estação da Praça XV, são inaceitáveis .

Defensoria

Na terça-feira (6), a Defensoria Pública do estado do Rio informou que vai propor um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) à empresa Barcas S/A para que, sem a necessidade de abrir processo judicial, a concessionária pague indenização por danos morais e materiais às vítimas do acidente

Caso a concessionária se recuse a firmar o TAC, o Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon) ingressará com uma ação civil pública contra a empresa.

Dois dias após o acidente, o governo do estado prometeu comprar novas barcas e pagar subsídios, e não autorizou aumento de tarifa. 

Catamarã ficou danificado após batida no dia 28 (Foto: Reprodução/TV Globo)          

veja também