MENU

Governo põe Itaipu sob suspeita de sobrecarregar rede

Governo põe Itaipu sob suspeita de sobrecarregar rede

Atualizado: Sexta-feira, 13 Novembro de 2009 as 12

Apesar de o diretor-geral de Itaipu, Jorge Samek, ter dito ainda na terça-feira que a usina havia contribuído com zero de problema para o blecaute que atingiu 18 Estados do País, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) vão investigar a geração da hidrelétrica na noite da pane no sistema de transmissão. Os órgãos de regulação e de planejamento da geração e distribuição querem saber se a produção a plena carga das 18 turbinas de Itaipu (11.850 megawatts) sobrecarregou e fragilizou as linhas de transmissão, deixando-as mais vulneráveis a incidentes meteorológicos.

A Aneel terá de saber também se o planejamento da produção de Itaipu foi devidamente autorizado pelo ONS e se, eventualmente, houve erro do próprio Operador Nacional ao permitir uma produção acima do suportável pela rede de transmissão. Itaipu pode ter trabalhado em zona de risco, disse ontem ao jornal O Estado de S. Paulo uma fonte do governo.

Essa pressão sobre a rede pode até forçar um curto-circuito, levando a um desligamento em cascata do sistema de transmissão. Raios, ventos e chuvas fortes, causas apontadas pelo ministro Edison Lobão (Minas e Energia) para o blecaute de terça, podem apenas ter precipitado uma pane que já era iminente.

Reação

Samek reagiu ao ser informado de que a Aneel pretende investigar se a usina operou acima do limite. É ótimo que investiguem. Gostamos de ser fiscalizados. É bom deixar bem claro para a opinião pública que Itaipu trabalhou dentro da margem e com folga, disse. A avaliação dos responsáveis pela hidrelétrica é que a acusação é um absurdo e que ninguém opera sozinho no sistema elétrico brasileiro.

Segundo o diretor-técnico da usina, Antônio Otelo Cardoso, não houve sobrecarga e a responsabilidade pelo sistema de Itaipu - que inclui geração e transmissão - é do ONS. O que o ONS pede de energia, nós atendemos. O responsável pela estabilidade do sistema é o ONS, afirmou. Ele esclareceu que a usina só gera a energia requisitada pelo operador nacional. Nós só geramos o que a ONS pede. Se eles pedem, nós enviamos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

veja também