MENU

Governo promete diques na marginal Tietê

Governo promete diques na marginal Tietê

Atualizado: Sexta-feira, 4 Março de 2011 as 3:04

A marginal Tietê vai ganhar quatro diques para evitar que o rio volte a transbordar, anunciou nesta sexta-feira (4) o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. Os diques estarão localizados em pontos baixos da via, perto das pontes da Vila Guilherme, Vila Maria, Limão e Aricanduva.

Esse último ponto terá um sistema de polder – ou seja, além do dique, haverá uma bomba e um reservatório. A marginal Tietê transbordou três vezes só neste ano.

O governo anunciou que vai publicar os editais das obras até o dia 15 de abril deste ano. A previsão é que a licitação seja concluída em 90 dias. As obras devem começar em julho, de acordo com Alckmin. O anúncio foi feito em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona sul de São Paulo. Além dos diques, Alckmin anunciou a maior intervenção no rio Pinheiros desde 1938, manutenção de piscinões fora da capital paulista, entre outras ações.

Várias obras já haviam sido apresentadas em janeiro ao lado do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM). Dessa vez, ele estava acompanhado apenas de assessores e líderes do governo estadual.

Rio Baquirivu O governador também prometeu fazer um canal para absorver parte da água do rio Baquirivu, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Essa espécie de via alternativa vai ter 19 km e o projeto deve ser entregue em outubro do ano que vem. A conclusão da obra está prevista para dois anos depois da conclusão do  estudo.

A bacia do Baquirivu também deve ganhar dois piscinões, que juntos poderão reter 1 milhão de metros cúbicos de água de chuva. A licitação deve ser lançada em abril deste ano. O prazo para a obra ser entregue é o mesmo da canalização do rio. Fora esses dois reservatórios do Baquirivu, o governo anunciou outros três: em Vila Prudente, na zona sul da capital paulista; na bacia do Ribeirão dos Couros, em São Bernardo do Campo, ABC Paulista; e na bacia do Alto Tamanduateí, em Mauá, Grande São Paulo. Nenhum deles ficará pronto neste ano.    

veja também