MENU

Governos federal, estaduais e municipais definem responsabilidades para Copa 2014

Governos federal, estaduais e municipais definem responsabilidades para Copa 2014

Atualizado: Quarta-feira, 13 Janeiro de 2010 as 12

O conjunto de responsabilidades que vem sendo discutido há meses entre as três esferas de poder - federal, estadual e municipal - para as sedes dos jogos da Copa do Mundo de 2014 será consolidado nesta quarta-feira, dia 13, às 17h, em Brasília, em uma reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e governadores e prefeitos.

O secretário de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Nilton Vasconcelos, destaca que a assinatura do Pacto Federal da Copa do Mundo 2014 estabelecerá o comprometimento econômico do Estado com a obra de reconstrução da nova Fonte Nova, cujo custo total está estimado em R$ 591,7 milhões.

"Desse total, o Estado compromete-se a garantir, junto ao BNDES, os R$ 400 milhões já anunciados pelo governo federal para investimento nos estádios que sediarão os jogos do mundial", afirma Vasconcelos. Quanto ao valor restante, ele diz que caberá ao consórcio OAS/Odebrecht, vencedor da licitação da Fonte Nova, que deverá investir recursos próprios e buscar financiamento junto à iniciativa privada.

Vasconcelos ressalta ser a Bahia o estado, entre os 12 que sediarão a Copa 2014, que primeiro finalizou o processo de licitação, devendo, já na próxima semana, assinar o contrato com o consórcio que será responsável pela demolição, reconstrução e operação do estádio pelos próximos 35 anos.

"A cada etapa vencida e cumprida dentro do cronograma estipulado pela Fifa, a Bahia consolida-se como um dos estados favoritos a sediar os jogos da Copa da Confederações, em 2013", diz Vasconcelos.

De acordo com o secretário do Planejamento da Bahia, Walter Pinheiro, cerca de R$ 560 milhões serão investidos na melhoria da mobilidade urbana da RMS. "São recursos oriundos do Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para serem geridos pelo Governo do Estado. Serão utilizados para a construção de um canal de tráfego que vai ligar o aeroporto ao acesso norte, na rótula do Abacaxi", disse.

A ideia é que este sistema seja o início de uma nova modelagem de mobilidade urbana para Salvador, inclusive com a previsão de transformar a rodoviária numa nova estação de transbordo metropolitana. "São investimentos que chegam para preparar nossa capital para a Copa do Mundo de 2014, mas que depois ficam para a cidade", completou Pinheiro, que estará presente na reunião desta quinta em Brasília.

Participam também da reunião os secretários Ney Campello (Extraordinário para Assuntos da Copa 2014), Domingos Leonelli (Turismo) e Afonso Florence (Desenvolvimento Urbano).

veja também