MENU

Grupo invade casa de alto padrão e faz reféns em Moema

Grupo invade casa de alto padrão e faz reféns em Moema

Atualizado: Quinta-feira, 22 Abril de 2010 as 12

Criminosos armados invadiram uma casa de alto padrão, na região de Moema, Zona Sul de São Paulo, e mantiveram quatro pessoas de uma mesma família reféns na manhã desta quinta-feira, dia 22. Denúncias feitas por telefone levaram a Polícia Militar até o local, onde, após 30 minutos de negociação, dois suspeitos libertaram as vítimas (uma mulher, seu marido e um casal de filhos adolescentes), largaram as armas e se entregaram.

Um terceiro homem suspeito de participar do crime, que estava dentro de um veículo na rua, já havia sido preso pelos policiais. Não houve troca de tiros e ninguém ficou ferido, segundo a PM. O caso está sendo registrado no 96º Distrito Policial, no Brooklin, também na Zona Sul.

De acordo com o capitão da PM Sérgio Watanabe, o objetivo do grupo era assaltar a residência, que pertence a um bancário, e roubar joias, dinheiro e carros do imóvel. Segundo o oficial, a dona da casa abriu o portão por volta das 7h15 e saiu com um carro que seria usado pela filha para ir à faculdade. A mulher estacionou o veículo na rua, saiu dele e foi abordada por dois homens armados que estavam num carro preto. Dentro deste automóvel ficou um terceiro criminoso, que dava cobertura ao grupo e ficaria responsável pela fuga.

"Os dois homens armados pegaram a mulher de refém e entraram com ela no imóvel. Por sorte, a filha dela viu os criminosos com a mãe e ligou para o telefone 190 da polícia. Cerca de 20 policiais e 10 carros da PM foram ao local, onde prenderam o suspeito que estava no carro preto, fizeram o cerco à residência e começaram a negociar com os bandidos", disse o capitão Watanabe por telefone ao G1.

Durante a negociação, os dois criminosos armados apontavam as armas para a mulher, o marido dela e os filhos, um garoto de 16 anos e uma jovem de 18 anos. "Os criminosos queriam a presença da imprensa e advogados, mas após 30 minutos de conversa com eles, conseguimos convencê-los a soltar as vítimas e se entregarem", afirmou o capitão. "Não foi preciso dar um tiro e ninguém se feriu".

O capitão da PM informou que o veículo utilizado pelo grupo havia sido roubado no último dia 17. Não há informações se os suspeitos já tinham passagem pela polícia. O G1 também tentou falar com as vítimas, que estavam no 96º DP, mas eles não quiseram conversar sobre o assunto e também pediram para não serem identificados.

Por: kleber Tomaz

veja também