MENU

Guarda municipal diz que foi agredido após multar PM no RJ

Guarda municipal diz que foi agredido após multar PM no RJ

Atualizado: Segunda-feira, 27 Setembro de 2010 as 8:39

Um guarda municipal da Prefeitura de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, registrou queixa na 62ª DP (Imbariê), no mesmo município, acusando um policial militar de agressão. O guarda Carlos Guimarães afirma ter levado uma coronhada do PM, às 14h30 da última quarta-feira (22), após ter multado o carro do policial no Centro de Santa Cruz da Serra, distrito de Duque de Caxias.

Procurada pelo G1 , a Polícia Militar, através da assessoria de imprensa, informou que o PM acusado de agressão nega esta versão e, ao contrário, diz que ele é que foi agredido pelo guarda municipal. Ainda de acordo com a assessoria, o policial militar estava de folga, sem farda, e, portanto, não estava de serviço no 15º BPM (Duque de Caxias), onde trabalha.

Carlos Guimarães conta que estava de serviço, na Rua Celita Melo Abreu, quando o policial militar, à paisana, estacionou o carro, em frente a ele, embaixo de uma placa com o símbolo “proibido estacionar”. “Ele foi até uma loja do outro lado da rua. Então, eu autuei o veículo”, contou o guarda municipal.

“Na volta, alguns minutos depois, o PM olhou para mim e perguntou: ‘Você já multou?’ Respondi: ‘Sim senhor’ O PM retrucou: ‘Ah, é? Então vou ser multado? Então, tá bom.’”, recorda o guarda municipal, contando que, nesse momento, o PM virou de costas e foi embora, e ele fez o mesmo. “De repente só escutei um grito na rua: ‘Cuidado!’”, quando me virei, o PM já estava dando a coronhada na minha cara”, contou Guimarães.

O guarda municipal afirma que a hipótese de ter agredido o PM é absurda. “Se eu o tivesse agredido, ele me daria voz de prisão e chamaria uma patrulha. Ou não?”, questiona Guimarães. “E, de qualquer forma, isso não é justificativa para me agredir”, complementa.

De acordo com Guimarães, ele teve uma fratura na face. Ainda segundo o guarda, o resultado de uma tomografia computadorizada, que sai na terça-feira (28), vai ser decisivo para o médico resolver se faz, ou não, uma cirurgia no rosto do guarda.

Postado por: Guilherme Pilão

veja também