Gurgel diz em sabatina que não havia indício para investigar Palocci

Gurgel diz em sabatina que não havia indício para investigar Palocci

Atualizado: Quarta-feira, 3 Agosto de 2011 as 3:34

Do G1, em Brasília

imprimir

O procurador-geral Roberto Gurgel cumprimenta

senadores em sabatina na CCJ (Foto: Lia de Paula

/ Agência Senado)

  O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta quarta (3), em sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, que seria uma "imensa burrice" se tivesse arquivado as denúncias contra ex-ministro Antonio Palocci somente com a finalidade de ser reconduzido ao cargo.

Em junho, Gurgel emitiu parecer pelo arquivamento de representações de partidos de oposição, segundo as quais Palocci acumulou patrimônio incompatível com a renda enquanto esteve no governo. O caso levou o ministro a pedir demissão.

Nesta quarta, a CCJ do Senado promove sabatina com o procurador-geral para decidir se aprovará a indicação da presidente Dilma Rousseff para que Gurgel permaneça no cargo por mais dois anos. Ao final da sessão, os senadores vão decidir, em votação secreta, se aprovam ou não a recondução do procurador. Se a indicação for aprovada pela comissão, vai para votação no plenário.     “No dia em que emiti o parecer determinando o arquivamento, o país inteiro sabia que Palocci sairia em 24 ou 48 horas. Não faria sentido, ainda que pudesse ser movido por essa canalhice. Eu não estaria agradando ao ministro mais forte do governo, estaria agradando a um ministro que já estava na porta de saída. Seria uma demonstração de imensa burrice", afirmou o procurador.

Segundo ele, não havia "indício de crime" para justificar uma abertura de inquérito para investigar Palocci. "O que sustentei foi que a lei penal não tipifica como crime a incompatibilidade entre o patrimônio e a renda declarada”, disse.

“A meu ver, não tínhamos indícios mínimos que permitisse o prosseguimento da investigação. Não acredito que o STF viesse a deferir qualquer medida invasiva com a absoluta insuficiência de indícios que me foram apresentados", afirmou.          

veja também