MENU

Hits de Michael Jackson e Queen viram paródias nas eleições 2010

Hits de Michael Jackson e Queen viram paródias nas eleições 2010

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 9:17

Demorou, mas elas apareceram. Hits internacionais e sucessos do último carnaval deixaram as rádios e se transformaram em paródias nas eleições 2010. Vale tudo para chamar a atenção dos eleitores.

Na Paraíba, o deputado estadual Lindolfo Pires (DEM), candidato à reeleição, recorreu a Michael Jackson, ídolo pop morto em 2009, e virou hit na internet com um jingle inspirado em “Beat it” – cujo refrão na versão original, pensaram os marqueteiros da campanha, rimava com a palavra “Pires”. E virou: “Na hora de optar você sabe em quem votar, então Pires”.

Freddie Mercury, que descansava em paz até o início da campanha no rádio e na TV no Brasil, também virou cabo eleitoral, desta vez em Santa Catarina. É lá que o clássico “I Want to Break Free” – em português, “eu quero me libertar” – virou jingle do candidato à Assembleia Legislativa Claudir Maciel (PSB).

A música do Queen na versão brasileira ficou: “Eu vou votar no Claudir, porque ele é bom. Pra deputado é Claudir pra unir, pra me ouvir, é o Claudir pra cumprir”.

Na falta de um jingle, o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), lançou, neste ano, duas paródias que fazem trocadilhos com seu sobrenome. Assim, “Macarena”, sucesso em qualquer festa de formatura ou casamento, virou “Êêêêê, Vaccarezza”.

No site da campanha do deputado, fãs do “Rebolation”, do grupo Parangolé, podem baixar e conhecer a versão eleitoreira da canção que colou nos ouvidos de quem pulou o último Carnaval. “Vaccarezza é bom bom, Vaccarezza é bom bom bom” – é o que diz o jingle, candidato.

Entre eles, o candidato ao Senado Netinho de Paula, do PC do B paulista, inovou e resolveu parodiar as próprias canções. E, assim, o eleitor que encontrar o cantor e apresentador pelas ruas poderá se lembrar de sucessos do pagode dos anos 90. Mas, desta vez, a festa não é na Cohab. “Vai ficar legal, Netinho no Senado no maior astral”.

veja também