MENU

Homem é preso por suspeita de aplicar golpes em feiras de carros

Homem é preso por suspeita de aplicar golpes em feiras de carros

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 8:08

Um homem de 34 anos foi preso na tarde desta terça-feira (22) em São Bernardo do Campo, no ABC, por suspeita de tentar comprar uma picape avaliada em R$ 93 mil com um cheque furtado de uma igreja. Segundo policiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), estelionatários buscam suas vítimas em feiras de compra e venda de veículos, utilizando nas negociações cheques roubados ou falsificados.

A ação desta terça foi realizada por agentes da Delegacia de Repressão a Furto e Roubo de Veículos, vinculada ao Deic. Eles monitoravam os passos do suspeito, que tinha escolhido sua vítima nesta segunda, em uma feira de carros usados no Parque Anhembi, Zona Norte da capital paulista. Ele foi autuado por estelionato e falsidade ideológica.

Segundo a polícia, o suspeito mostrou interesse por uma Toyota Hilux. Na manhã desta terça, ligou para o dono da picape e marcou o encontro para acertar a compra do carro em R$ 93 mil.

O delegado Celso Valdir Marchiori informou que os estelionatários se aproveitam de uma possível distração dos funcionários das agências bancárias. “A coisa é bem elaborada. Ele marca um horário, mas chega atrasado, quase sempre minutos antes do fechamento dos bancos.”

Assim, de acordo com a polícia, se o criminoso realizar um depósito irregular instantes antes ao fechamento do banco, a vítima só descobre depois. “Para a vítima o dinheiro estava depositado. Só no dia seguinte ou no outro descobria o golpe”, disse o delegado. “O comum é falar para a vítima verificar o saldo. Ao ouvir o valor (depositado) o proprietário entrega o carro”, completou. No entanto, o suspeito preso, segundo os policiais, tinha usado um cheque furtado de uma igreja para comprar a picape.

Marchiori alertou que, normalmente, depois que compram, os golpistas vendem os carros rapidamente usando documentos falsos.    

veja também