MENU

Homicídio em São Paulo atinge o menor nível em 2010, diz governador

Homicídio em São Paulo atinge o menor nível em 2010, diz governador

Atualizado: Sábado, 29 Janeiro de 2011 as 12:52

A taxa de homicídios no Estado de São Paulo atingiu a proporção de 10,47 por grupo de 100 mil habitantes no ano passado, afirmou neste sábado (29) o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo ele, foi a menor taxa da história do Estado, superando a marca registrada em 2008 de 10,77 por grupo de 100 mil habitantes.

Os números serão divulgados oficialmente pela Secretaria da Segurança Pública na próxima segunda-feira (31), mas Alckmin adiantou os dados neste sábado, ao participar, no Campo de Marte, de homenagem aos policiais do Grupamento Aéreo que ajudaram no resgate às vítimas das chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro.

- Mesmo tendo a maior população e sendo a maior metrópole do país, estamos reduzindo progressivamente desde 1999 os homicídios no Estado.

Em 1999, a taxa por grupo de 100 mil habitantes em São Paulo era de 35,27. Nos últimos 11 anos, portanto, houve uma queda foi de 70,3%. O governador afirmou que, em números absolutos, foram registrados 4.320 homicídios no ano passado, queda de 5,3% na comparação com os 4.564 de 2009, que resultaram numa proporção de 10,95 por grupo de 100 mil habitantes.

- Estamos abaixo da média brasileira de 24,5 homicídios (por grupo de 100 mil habitantes). Isso é uma questão de saúde pública porque os homicídios estão entre as principais causas de morte por violência.

Segundo o secretário da Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, a redução dos números é consequência da ampliação do trabalho de prevenção e investigação.

- Registramos uma queda generalizada dos índices no interior e na capital.

Ele destacou ainda que o governo pretende ampliar de 3.000 para 5.000 a formação anual de soldados da Polícia Militar para o reforço do patrulhamento.

Homenagem

A cerimônia no Campo de Marte homenageou 15 pilotos, tripulantes e mecânicos da Polícia Militar paulista que resgataram pessoas que estavam isoladas na Região Serrana do Rio de Janeiro. A operação, batizada de "Redentor II", contou com dois helicópteros, que transportaram médicos, enfermeiros e legistas. Mereceu uma menção especial do governador a cadela Isa, que auxiliou na localização das vítimas.

veja também