Hospitais federais do RJ terão mais 100 leitos de CTI até ano que vem

Hospitais federais do RJ terão mais 100 leitos de CTI até ano que vem

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 8:59

Depois da polêmica sobre a falta de leitos de CTI na rede pública do estado do Rio de Janeiro, o Ministério da Saúde anunciou a criação de mais 100 leitos nos seis hospitais federais do estado até meados de 2011.

"O número de leitos precisa aumentar e muito. Por uma reserva técnica cada hospital nosso fica com dois leitos de CTI, porque 70% dos leitos de oncologia estão nos leitos federais, boa parte das neurocirurgias, transplantes e cirurgias coronarianas também", explicou o diretor da rede federal de hospitais no Rio, Oscar Berro.

Segundo ele, no entanto, o esforço não é suficiente para solucionar a questão no estado. "Todas as outras instâncias têm que fazer o seu dever de casa. Os municípios têm que investir na atenção básica, na prevenção, porque, senão, não tem leito que dê conta nem hoje, nem dia nenhum", afirma.   Central administra 692 vagas de CTI

A Central de Regulação de Leitos do estado administra 692 vagas de CTI. Dados do Ministério da Saúde mostram também que há uma distorção no estado do Rio. Enquanto no país mais de 60% dos leitos de terapia intensiva são ligados ao Sistema Único de Saúde (SUS), no Rio de Janeiro, os leitos do SUS representam 38% do total.

Para a professora, Lígia Bahia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), especialista em saúde pública, somente a criação de uma central única de regulação, que reunisse todos os hospitais, não resolveria o problema.

“Somadas as vagas dos governos federal, estadual e municipal, ou seja de toda a rede pública estatal com as vagas hoje credenciadas, não é suficiente para que a gente dê conta de uma demanda cada vez mais intensa, cada vez mais necessária para os leitos de terapia intensiva. Além disso, temos um problema na distribuição dessas vagas em relação aos clientes públicos e privados”, disse a professora.    

veja também