MENU

Idolatrado por teens, Chris Brown traz seu "rap de FM" a São Paulo

Idolatrado por teens, Chris Brown traz seu "rap de FM" a São Paulo

Atualizado: Sexta-feira, 21 Maio de 2010 as 10:09

Pose marrenta, gorro na cabeça e coreografia afinada. Foi assim que o astro do hip hop norte-americano Chris Brown se apresentou para as cerca de 6.000 pessoas que foram à casa de shows Credicard Hall, em São Paulo, na noite da última quinta-feira (20).

Acompanhado por quatro bailarinos no palco, o rapper disparou hits conhecidos nas rádios FM para um público, em sua maioria, adolescente e extasiado pela presença do ídolo no país. Na etapa paulistana da turnê "Fan appreciation", em que Brown pula e dança tanto ou mais que seus fãs, não faltaram hits de sua carreira como "With you", "Run it", e "Kiss kiss".

Com pouco mais de uma hora de duração, a apresentação teve direito a um inevitável "São Paulo, I love you" - dito por Brown enquanto vestia uma bandeira do Brasil - e a performance do DJ que acompanha o cantor mixando Ivete Sangalo e 50 Cent durante as trocas de figurino do astro.

Antes, a já clássica "banda de abertura" Valkyrias animou com desenvoltura o público, interpretando covers de Lady Gaga, Alicia Keys e Jay-Z.

Na plateia, casais com jeitão de "gangstas" dos Jardins se misturavam a teens que choravam a cada verso entoado pelo cantor. A idolatria a Brown era evidente e incluía, além da empolgação com seus hits, a presença de fã-clubes e uma curiosa vista grossa à polêmica que marcou o fim do namoro do artista com a cantora Rihanna. (O relacionamento dos dois chegou ao fim em 2009, com direito a agressão física à intérprete de "Umbrella", denúncia dela, de olhos roxos, à polícia e condenação dele a cinco anos de liberdade condicional).

Para fã, surra valeu

Para o vendedor Tiago Cardoso, 23, o que diferencia Brown de outros rappers é o fato de ele ser "um artista completo". "É um cara que canta e dança como poucos e tem um trabalho baseado na espontaneidade", elogiava. "O que aconteceu na vida pessoal dele deve ter sido um descontrole pontual e não mudou minha admiração por ele."

Ao seu lado, a comerciante Priscila Santos, 23, que dizia "escutar muito o Chris e ‘puxar’ música dele pelo celular", concordava. "Ninguém apanha de graça. Para mim, a Rihanna mereceu."

Desvincular o ídolo pop da agressão à ex-namorada era comum entre os fãs. "Não tem nada a ver. Ele não é do mal. Já viu como ele só fala de amor nas músicas?", perguntava a cantora profissional Camila Berthier, 23. "A Rihanna tava precisando mesmo de uns tapas... E, olha, valeu ela ter apanhado. O som dela ficou bem melhor".

Na tarefa de "blindar" o ídolo, sobrava até para a mídia. "Será que foi toda essa treta mesmo? Todo mundo tem seus podres e, nessas, quem é famoso fica mais visado", teorizava o arquiteto Diego Fernandes, 23, que diz gostar "um pouco" de Rihanna. "Acho que a imprensa é que foi sensacionalista. A mídia ajudou."

Próximas paradas

Em seguida ao show de São Paulo, a "Fan appreciation tour" aporta no Rio de Janeiro e Porto Alegre. Veja serviço abaixo.

Chris Brown no Brasil

Rio de Janeiro

Quando: sexta-feira (21), a partir das 22h

Onde: Credicard Hall - Av. Ayrton Senna, 3000

Quanto: entre R$ 300 e R$ 150, com direito à meia-entrada

Informações: www.ticketsforfun.com.br

Porto Alegre

Quando: sábado (22), a partir das 23h

Onde: Pepsi On Stage - Av. Severo Dulius, 1995

Quanto: entre R$ 300 e R$ 100, com direito à meia-entrada

Informações: www.ticketsforfun.com.br

Por Caio Terreran

veja também