MENU

Imigrantes é liberada mais de 22 horas após engavetamento

Imigrantes é liberada mais de 22 horas após engavetamento

Atualizado: Sexta-feira, 16 Setembro de 2011 as 11:46

Funcionários da Ecovias limpam pista da Imigrantes na manhã desta sexta-feira (Foto: Juliana Cardilli)

  A pista norte da Rodovia dos Imigrantes foi totalmente liberada às 11h30 desta sexta-feira (16) após permanecer mais de 22 horas fechadas por causa do engavetamento  que envolveu pelo menos uma centena de veículos, segundo a concessionária Ecovias. O acidente aconteceu por volta das 13h desta quinta (15) na região de São Bernardo do Campo, no ABC. Equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar Rodoviária e da concessionária Ecovias trabalharam desde a tarde desta quinta na remoção dos carros e caminhões envolvidos no acidente. Segundo a concessionária Ecovias, por volta das 11h30 a pista sul permanecia bloqueada apenas para inversão de mão. Foi colocada em funcionamento a operação comboio para carros que seguiam da Baixada Santista rumo à capital paulista por causa da neblina.     As colisões ocorreram na altura do km 41 da estrada, que liga a capital paulista à Baixada Santista, e deixaram um motorista de caminhão morto. As vítimas foram levadas para hospitais de Santo André e Diadema, no ABC, e Cubatão, na Baixada Santista, segundo os bombeiros.

Ao longo desta madrugada, a pista da rodovia foi limpa com vassouras e jatos d’água – três caminhões-pipa com cerca de 30 mil litros foram usados. Caminhões e guinchos retiraram os veículos que se envolveram no acidente. Sete caminhões e um ônibus que foram danificados no acidente permaneciam no acostamento da via por volta das 10h30 desta sexta e outros três caminhões estavam no canteiro central.

Ainda há divergências quanto ao número de veículos envolvidos no engavetamento. Segundo a Polícia Militar, foram 270 veículos - 90 motoristas já registraram boletim de ocorrência. A concessionária Ecovias, por sua vez, fala em 104 veículos. Ainda de acordo com a PM e com a Ecovias, 51 pessoas ficaram feridas no acidente – sendo duas em estado grave – e uma pessoa morreu.

“Nós contabilizamos 270 veículos com avarias. Os 104 que tiveram danos grandes e médios, e que registraram boletim de ocorrência, além dos demais com danos menores que ainda vão registrar a ocorrência ao longo dos próximos oito dias, que é o prazo legal”, explicou o coronel Roberval França, comandante da PM na região do ABC. Até as 17h15 desta quinta, a equipe de reportagem do G1 contou 84 veículos. Pelo menos 80 haviam sido retirados até o horário, segundo a Polícia Rodoviária Estadual.

Caminhões ainda permaneciam na pista nesta

manhã (Foto: Juliana Cardilli)

  Acidente

O acidente se estendeu por aproximadamente 2 km, segundo a Polícia Militar. Os carros começaram a se chocar no trecho de planalto, em São Bernardo do Campo, no ABC. Alguns caminhões e carros pegaram fogo.

No momento da batida e ao longo da tarde e da noite desta quinta, o local foi tomado por uma neblina muita densa, além de garoa. Para a PM, a baixa visibilidade é a causa mais provável do engavetamento.

De acordo com o delegado geral de polícia de São Paulo, Marcos Carneiro de Lima, devido à gravidade do acidente a investigação deverá ser conduzida pela Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo. “Eu mesmo vou ligar para o delegado seccional [Rafael Rabinovich] para que ele dê todo o suporte necessário para ouvir as vítimas”, disse. Ainda segundo o delegado geral, a Polícia Civil irá apurar se o acidente teve características criminosas ou se foi uma fatalidade.

Nevoeiro repentino

Segundo a concessionária, não houve falta de informações aos motoristas que poderiam ter prevenido o acidente. “Não faltou informações, o atendimento foi muito rápido. A situação climática realmente foi atípica, o nevoeiro caiu repentinamente. A base da Polícia Rodoviária rapidamente fez uma operação de redução de velocidade, mas acabou se envolvendo no acidente”, disse o gerente de atendimento ao usuário da concessionária Ecovias, Eduardo di Gregório. “A concessionária tomou todas as providências em relação à trafegabilidade. Falar em responsabilidade não seria o caso.”

Segundo o coronel França, o carro da PM que se envolveu na colisão seguia em uma espécie de comboio para orientar os motoristas. A primeira colisão – que ainda não foi identificada – ocorreu fora deste comboio, mas acabou afetando os veículos em um espaço de dois quilômetros.

O gerente da Ecovias negou que haja falta de sinalização no trecho de planalto da Imigrantes, mas afirmou que as condições serão analisadas para possíveis modificações serem feitas no futuro. “Todo aquele trecho de planalto, que tem incidência de neblina, já tem uma sinalização apropriada. Nós vamos analisar esse acidente”, afirmou Gregório.

Segundo o coronel da PM, apesar de a cronologia do acidente ainda não ter sido determinada, é possível afirmar que nenhum veículo atravessou a pista vindo do sentido contrário.          

veja também