MENU

Incêndio na Serra do Curral destrói 40 hectares em 2 parques

Incêndio na Serra do Curral destrói 40 hectares em 2 parques

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 4:02

O incêndio na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que destruiu área de vegetação do Parque da Serra do Curral e do Parque das Mangabeiras, foi extinto, segundo o Corpo de Bombeiros e a Fundação de Parques Municipais. Nesta terça-feira (27), o diretor da fundação, Homero Brasil Filho, informou que a área queimada é de 40 hectares.

O trabalho de combate às chamas foi encerrado por volta das 22h desta segunda-feira (26), segundo o Corpo de Bombeiros. A destruição foi maior no Parque da Serra do Curral, onde 30 hectares de vegetação foram queimados, de acordo com Filho. Já no Parque das Mangabeiras, dez hectares foram destruídos, conforme balanço da fundação. Os parques têm área total de 40 e 232 hectares, respectivamente, e ficam lado a lado.

"O Parque das Mangabeiras tem topografia menos acentuada e o acesso dos brigadistas e bombeiros foi mais fácil. Já na Serra do Curral, o combate foi intenso na parte inferior da serra. No paredão, o acesso humano é impossível. Esse fogo só poderia ser combatido com aeronave”, disse o diretor da Fundação de Parques Municipais. “Todas as aeronaves do estado estavam em combate em outras áreas e não puderam ser deslocadas”, justificou.

Ainda na Serra do Curral, só que em Nova Lima, na região Metropolitana de Belo Horizonte, focos isolados chegaram a ser combatidos nesta terça-feira (27), segundo a fundação. A assessoria de imprensa da Vale informou que brigadistas da empresa fazem monitoramento permanente da área.

Combate durou dois dias

O incêndio teve início neste domingo (25) , segundo os bombeiros. O fogo chegou a ser controlado na tarde desta segunda-feira (26), mas labaredas se alastraram para perto do Instituto Hilton Rocha. Não houve registro de vítimas, segundo os bombeiros. Vinte e cinco brigadistas da Fundação Municipal de Parques atuam no combate aos focos nesta segunda-feira (26) com apoio de dois caminhões-pipa, de acordo com informações do diretor de parques da área sul da fundação, Homero Brasil. "Este incêndio foi intencional, criminoso. Funcionários do parque viram um rapaz fazendo isto, mas ele correu”, disse.   Ainda segundo o diretor, um sistema de prevenção contra incêndios instalados em parceria com a Vale foi usado no combate. Segundo ele, o sistema é acionado por bombas, que injetam água em canhões móveis que a difundem por canos. De acordo com Brasil, o acionamento dos canhões era feito com apoio da energia elétrica e, atualmente, é realizado de maneira manual, o que dificulta o combate às chamas. "Lamentavelmente, houve vandalismo, depredação e roubaram a fiação elétrica", relatou.

O sistema foi implantado no alto da Serra do Curral pela Vale e é abastecido pela água de um lago formado em uma antiga mina da empresa. Segundo a assessoria da companhia, o objetivo do sistema é prevenir incêndios em cerca de 1,5 quilômetros da serra, em um ponto tombado pelo patrimônio.

Ainda de acordo com a empresa, houve problemas com vandalismo, mas isto não atrapalhou as operações do sistema.              

veja também