MENU

Incentivo ao Itaquerão dará retorno de R$ 30 bilhões a SP

Incentivo ao Itaquerão dará retorno de R$ 30 bilhões a SP

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 4:24

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Marcos Cintra, disse nesta terça-feira (21) que a concessão de incentivos fiscais para a contrução do estádio do Corinthians em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, no valor de R$ 420 milhões, vai promover um incremento de R$ 30 bilhões ao longo dos próximos 15 anos na economia da cidade. O projeto de lei que trata da concessão dos incentivos começou a tramitar na tarde desta terça na Câmara Municipal, logo após a visita do presidente do Corinthians, Andrés Sanches, aos vereadores.     “Com a construção deste estádio, ao longo de 15 anos o PIB da Zona Leste será incrementado em R$ 30 bilhões. Todos os eventos multiplicadores a partir deste investimento resultarão em um incremento que não existiria se este incentivo não fosse dado”, disse Marcos Cintra.

Sanches participa de coletiva após se encontrar com vereadores (Foto: Letícia Macedo / G1)

Prazo final

Andrés Sanches afirmou que o projeto do estádio deve ser enviado à Fifa até o dia 10 de julho para que São Paulo possa ser escolhida como sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. A Fifa deve anunciar até o fim do mês se a cidade foi escolhida. “Até 10 de julho tem que ser enviado tudo: não só a parte do BNDES como a parte dos incentivos [fiscais]”, afirmou Sanches.

Durante o dia, o presidente do Corinthians visitou os gabinetes de vários vereadores e se encontrou com a bancada do PT, que deve votar favoravelmente ao projeto na Comissão de Justiça, segundo Ítalo Cardoso, líder do partido na Câmara. “Existe uma tendência da maioria da bancada de votar favorável mesmo sabendo que na segunda votação vamos apresentar uma emenda com caráter social do projeto para a região”, disse, após o encontro com Sanches.

Segundo Cardoso, Sanches disse aos vereadores petistas que o clube pretende construir o estádio com capacidade para 45 mil pessoas, independentemente da votação na Câmara. “O que veio de novo foi a necessidade e a aposta de fazer a abertura da Copa na cidade de São Paulo e, por isso, tem que dotar o estádio dessa capacidade [de 65 mil lugares]”, afirmou.

O tempo que resta para a Câmara analisar e votar o projeto antes do recesso foi considerado suficiente pelo líder do PT. “Os vereadores têm tempo hábil para fazer a discussão, para entender e votar [o projeto] sem a faca no pescoço.”          

veja também