MENU

Inclusão de Pessoas com Deficiência

Inclusão de Pessoas com Deficiência

Atualizado: Quinta-feira, 17 Julho de 2008 as 12

Uma prática de Cidadania, Responsabilidade Social e principalmente uma expressão do caráter cristão.

Atualmente, observamos um aumento do fluxo de pessoas com deficiência em edificações de uso público ou privado, veículos de transporte coletivo, ambientes urbanos, etc.

Muitas pessoas não sabem como agir perante uma pessoa com deficiência, por falta de conhecimento ou o que é muito pior... por puro preconceito!

Essas pessoas são pessoas como outras quaisquer, apenas possuem necessidades diferenciadas que precisam ser compreendidas, respeitadas e sempre que possível, supridas por uma ajuda correta e acessibilidade de ingresso e permanência em qualquer local. É um direito dessas pessoas o acesso a qualquer serviço, meio de transporte, informação e inclusive ao mercado de trabalho (Lei Federal 8.213/1991).

Nosso país, deu importante passo com a promulgação da Lei n°7.853 de 24 de outubro de 1989, que dispôs sobre a obrigatoriedade de incluir em censos nacionais questões específicas sobre as pessoas com deficiência.

O Censo de 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que cerca de 24,6 milhões de brasileiros têm alguma deficiência, isso representa 14,5% de toda população brasileira. Dentro desse montante, quase a metade (48,1%) corresponde aos deficientes visuais, seguidos das pessoas com deficiência motora (22,9%), deficiência auditiva (16,7%), deficiência mental/intelectual (8,3%) e por fim, deficiência física (4,1%). Outros dados apresentados indicaram que, na cidade de São Paulo, 10,32% dos cidadãos são pessoas com deficiência.

A limitação de um indivíduo não diminui seus direitos e muito menos seu valor! O tratamento perante uma pessoa com deficiência deve se diferenciar apenas como forma de contemplar as necessidades específicas da deficiência e não de reduzir sua capacidade, ou seja, devemos ter uma postura adequada sobre o que fazer, como fazer, quando fazer e também o que não fazer com uma pessoa com deficiência. Para que não nos tornemos negligentes, mas também que tampouco a pessoa se sinta invadida ou desrespeitada.

Uma sociedade aberta a todos, que estimula a participação de cada um, aprecia e compreende as diferentes experiências humanas e reconhece o potencial de todo cidadão e ser humano é denominada sociedade inclusiva. Constitui-se em uma sociedade fraterna, buscando todas as camadas sociais, atingindo todas as pessoas, respeitando-as em sua dignidade.

As pessoas com deficiência precisam ser vistas como seres humanos que têm o direito e a necessidade de exercer plenamente seus direitos civis, políticos, sociais, culturais e econômicos.

veja também