MENU

Interior de SP quer mudar capacetes de mototáxi para evitar nova gripe

Interior de SP quer mudar capacetes de mototáxi para evitar nova gripe

Atualizado: Quarta-feira, 12 Agosto de 2009 as 12

A Prefeitura de Tupã, a 514 km de São Paulo, quer que os mototaxistas da cidade mudem o modelo de capacete utilizado para evitar o contágio pela nova gripe. A medida não tem força de lei, apenas recomenda que os profissionais troquem o capacete fechado pelos mais abertos, sem proteção na frente.

Usar o mesmo capacete que outras pessoas é situação comum para quem costuma utilizar o serviço. Por isso, a cidade quer uma mudança de hábito, para impedir que um passageiro possa passar o vírus Influenza A (H1N1) para outra pessoa.

“O capacete aberto está regulamentado e pode evitar esse contato com a gripe”, disse Gerson Gonzáles, diretor do Departamento de Trânsito de Tupã.

Na cidade, existem 178 mototaxistas cadastrados pela prefeitura. Quem utiliza o serviço aprovou a ideia. Já os motociclistas reclamaram da novidade. O dono de uma empresa de mototaxistas acha que fica inviável fazer a troca dos capacetes por causa do preço dos equipamentos novos.

“Custa R$ 70, R$ 80 mais ou menos. O mais barato um pouquinho não tem a viseira, teria que comprar aqueles óculos, e fica meio difícil para o pessoal querer usar”, explicou Itamar de Souza.

Estado

No último balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, na noite de sexta-feira, 7 de agosto, havia a confirmação de 69 mortes pela doença em todo o estado. Deste total, 19 ocorreram entre 4 e 7 de agosto.

veja também