MENU

Investigado por morte de prefeito entra com pedido de habeas corpus

Investigado por morte de prefeito entra com pedido de habeas corpus

Atualizado: Terça-feira, 21 Dezembro de 2010 as 12:48

A defesa do ex-secretário de Habitação de Jandira Wanderley Aquino entrou com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) nesta segunda-feira (20). Aquino está preso Carapicuíba, na Grande São Paulo, por crime contra a administração pública. Por causa da acusação, ele foi exonerado do cargo que ocupava. Aquino também é investigado pela morte prefeito de Jandira, Braz Paschoalin, que foi assassinado no dia 10 deste mês.

Segundo o advogado Mauro Otávio Nacif, que representa Aquino no caso das investigações da morte de Paschoalin,seu cliente era muito amigo do prefeito e não tinha razões para matá-lo. ”Realmente houve comentários de que ele não gostava do prefeito. Essa prisão temporária, por 30 dias, é baseada nisso. Não há uma carta, alguém que esteja acusando o secretário. Nem os homens detidos por suspeita de matar o prefeito o acusam. Há suposições, fofocas”, disse Nacif.   Procurado pelo G1 , o TJ-SP afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não poderia comentar o caso porque ele está sob segredo de Justiça.

Morte de prefeito

Segundo a polícia, Aquino pode ter ligação com os quatro homens presos até agora por suposto envolvimento no crime. Em depoimento à polícia, testemunhas teriam dito que Aquino estava intimidando parentes do prefeito e funcionários da prefeitura. Segundo a investigação, antes e depois do assassinato do prefeito, os suspeitos presos falaram ao telefone com pessoas próximas ao secretário. Foram identificadas ainda muitas ligações para ramais da prefeitura usados pelo secretário.    

veja também