Irmã de Dayanne recebe com surpresa indiciamento por morte de Eliza

Irmã de Dayanne recebe com surpresa indiciamento por morte de Eliza

Atualizado: Sexta-feira, 30 Julho de 2010 as 3:48

Uma das duas irmãs de Dayanne Rodrigues - indiciada nesta quinta-feira (29) pela morte de Eliza Samudio - disse que a família recebeu com espanto a conclusão da Polícia Civil de Minas Gerais sobre o sumiço da jovem. A mulher do goleiro Bruno foi colocada como uma das envolvidas no homicídio, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver de Eliza, formação de quadrilha e corrupção de menores.

Lidiane Rodrigues, 26 anos, falou ao G1 sobre a participação de Dayanne no caso. "Acordei e fui ler o jornal. Soube do indiciamento de minha irmã logo cedo. Não acredito que isso tenha acontecido. Coloco a minha mão no fogo por ela. Não entendo o motivo para ela estar presa por tudo isso. Está errado." A jovem disse que vai falar com a mãe e os outros seis irmãos para saber que providência pretendem tomar após a notícia do indiciamento de Dayanne. "Vamos procurar o advogado [Ércio Quaresma]. Para mim, ele abandonou minha irmã. Está interessado apenas em defender Bruno. Ele já deveria ter tomado providências para que minha irmã saísse da penitenciária. Vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para tirar minha irmã de lá. Se for o caso, trocaremos de advogado", afirmou a irmã.

Lidiane mora na mesma casa onde o jogador Bruno passou parte da infância. Ela disse que está inconformada pela quantidade de crimes que foram imputados à irmã . "Olha, para mim é muita coisa que colocaram nas costas dela. Se ela tiver participação em alguma coisa, foi por ter ficado com o bebê daquela moça [Eliza]. Sobre a morte, ocultação de cadáver, sequestro, cárcere privado, formação de quadrilha e corrupção de menores, ela é inocente, pois foi o próprio Bruno que ligou para ela, depois de tudo, para que ela ficasse com a criança." O indiciamento

A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu o inquérito sobre o desaparecimento de Eliza Samudio e encaminhou o documento, que tem cerca de 1.600 páginas e três anexos, para a Justiça, nesta sexta-feira (30). O documento deverá ser encaminhado ao Ministério Público Estadual, que terá prazo de dez dias para oferecer ou não denúncia contra os indiciados.

O goleiro Bruno de Souza foi indiciado por homicídio, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver, formação de quadrilha e corrupção de menores. De acordo com a polícia, devem responder pelos mesmos crimes Luiz Henrique Ferreira Romão (conhecido como Macarrão), Flávio Caetano de Araújo, Wemerson Marques de Souza, Dayanne Souza (mulher de Bruno), Elenilson Vitor da Silva, Sérgio Rosa Sales (primo do atleta) e Fernanda Gomes de Castro (amante do goleiro).

A polícia disse que o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola e Paulista, foi indiciado por homicídio qualificado, formação de quadrilha e ocultação de cadáver. Dos nove indiciados, Fernanda é a única que está em liberdade. Todos os outros estão presos na Região Metropolitana de Belo Horizonte e negam o crime.

veja também