MENU

Irmão de deputado é morto por bandidos em SP

Irmão de deputado é morto por bandidos em SP

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 4:49

O empresário Ali Said Mourad, 51, irmão do deputado estadual Said Mourad (PSC), foi morto no início da tarde desta quarta-feira durante um latrocínio (roubo seguido de morte), na região de Heliópolis (zona sul de SP).

De acordo com a assessoria do deputado, Ali Said levou um tiro nas costas, chegou a ser socorrido no Hospital de Heliópolis, mas morreu depois de passar por cirurgia. Ele deixava uma agência bancária quando foi atacado, na rua do Reno, por dois homens em uma moto. Os ladrões fugiram.

Na comparação entre 2009 (100 casos com 101 vítimas) e 2010 (76 casos e o mesmo total de mortos), os latrocínios caíram 24% na capital, segundo as estatísticas do governo paulista.

Pela gratuidade da violência dos criminosos, o latrocínio é um dos crimes que mais assustam a população.

Said Mourad é membro da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de São Paulo.

AUTOR DESCONHECIDO

Na maior parte dos latrocínios em 2010, o crime foi cometido por "desconhecidos" --conforme registrado no boletim de ocorrência.

Dos 76 latrocínios, em 60 (79%) não havia informação sobre o(s) criminoso(s).

Desde 31 de janeiro, a Folha pede à Secretaria da Segurança Pública dados dos principais tipos de crime em cada uma das regiões da capital, mas a pasta não fornece os dados públicos. Também não revela quantos dos 76 latrocínios na capital em 2010 foram solucionados pela polícia.

OUTROS CASOS

Na segunda-feira (21), um homem de 37 anos morreu após ser baleado durante uma tentativa de assalto em frente a uma agência do banco Itaú na avenida Celso Garcia, no Tatuapé (zona leste). Uma irmã dele também foi atingida e está internada.

André Luis Dantas de Souza esperava, no carro, a irmã Geni de Amorim, 42, sair do banco com R$ 19.970, referentes a um cheque sacado.

Quando ela entrou no veículo, um homem, aparentando ter 20 anos, bateu no vidro e pediu que ela entregasse a bolsa com o dinheiro.

Souza engatou a marcha ré e o criminoso disparou três tiros, conforme a polícia. Um dos disparos atravessou seu corpo e atingiu Geni.

Ela desceu do veículo e voltou correndo para a agência. Ao entrar, ferida, jogou a bolsa para dentro e caiu.

O bandido correu por cerca de 20 m e fugiu na garupa de uma moto. A polícia suspeita que outro criminoso tenha participado da ação.

Souza morreu na hora. Seu corpo só foi recolhido pelo IML (Instituto Médico Legal) quase três horas depois. Já Geni foi levada à Santa Casa, onde permanecia internada até a noite de ontem. O hospital não informou qual era o seu estado de saúde.

No dia 17, Antonio Carlos Rodrigues Ribeiro, 71, morreu na rua Silveira Martins, na região da Sé (centro).

Ele havia sacado R$ 4.000 e, segundo a polícia, foi morto com um tiro na cabeça por homem que foi preso.

Por André Caramante

veja também