MENU

Irmão de Mizael deve ser ouvido como suspeito na morte de Mércia

Irmão de Mizael deve ser ouvido como suspeito na morte de Mércia

Atualizado: Quarta-feira, 11 Agosto de 2010 as 3

A Polícia Civil de São Paulo quer começar a ouvir no final da manhã desta quarta-feira (11) um dos irmãos do advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza por suspeita de envolvimento no assassinato da ex-namorada dele, a advogada Mércia Nakashima. O pintor Altair de Souza deverá comparecer ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) por volta das 11h, segundo informou sua defesa. Até o momento, somente Mizael e o vigia Evandro Bezerra Silva são réus no processo no qual estão sendo acusados do crime. Os dois estão soltos e alegam inocência.

Será a segunda vez que Altair prestará depoimento a respeito do caso. Desta vez, o interrogatório foi solicitado pelo Ministério Público e autorizado pelo juiz Leandro Bittencourt Cano. O promotor Rodrigo Merli Antunes não se convenceu da explicação dada em 23 de junho pelo irmão de Mizael a respeito das ligações telefônicas entre o pintor e o vigia Evandro Bezerra Silva próximas ao dia 23 de maio, quando Mércia desapareceu e foi assassinada. Além disso, Altair também teria telefonado para o irmão no mesmo dia.

De acordo com o delegado Antônio de Olim, foram 27 telefonemas entre o pintor e o vigia próximos ao desaparecimento da vítima. Mércia foi vista pela última vez deixando a casa dos avós em Guarulhos, na Grande São Paulo. Depois, o carro dela foi localizado submerso em 10 de junho numa represa em Nazaré Paulista, no interior do estado de São Paulo. No dia seguinte, bombeiros encontraram seu corpo. De acordo com a perícia, a mulher foi baleada, desmaiou e morreu afogada dentro de seu veículo.

Quando foi questionado sobre as 27 ligações entre ele e Evandro, Altair chegou a dizer que não se lembrava de ter ligado tanto para o vigia, e declarou que sua filha de 13 anos poderia ter feito os telefonemas sem querer enquanto brincava com seu telefone celular.

Mas agora, os advogados que defendem Mizael e Altair, Samir Haddad Júnior e Ivon Ribeiro, disseram possuir provas de que o pintor só fez dois telefonemas para Evandro entre 9 e 10 de junho.

“Levarei a conta detalhada do número de telefone de Evandro. Lá constam apenas essas duas ligações. Foram feitas justamente quando Mizael pediu para o irmão ligar a Evandro pedindo apoio. Evandro, que já trabalhava para Mizael como segurança em feiras, também fazia bico de vigilante de rua. Como Mizael e seus parentes estavam se sentindo ameaçados, por causa do fato de Mizael ser apontado como suspeito do crime pela polícia, Altair ligou para Evandro pedindo um apoio, segurança para sair de casa”, disse o advogado Ivon Ribeiro por telefone. Já sobre um suposto telefonema de Altair para Mizael no dia do crime, o defensor dos dois diz que quem ligou para o ex de Mércia foi a filha dele. “Essa prova que a Promotoria diz ter caiu por terra

Questionado se Altair corre o risco de deixar o DHPP indiciado por envolvimento na morte de Mércia, seu advogado respondeu que isso é improvável. “Não vejo essa possibilidade”, disse Ribeiro. “Até agora ninguém conseguiu ver Mizael e Mércia juntos no dia 23. Ninguém. A polícia só fica na história dos telefones, que também não provam nada”.

Apesar das críticas dos suspeitos, a investigação trabalha com a hipótese de o pintor ter dado cobertura a Mizael e Evandro sobre uma suposta participação deles no crime.

1ª ‘reconstituição’

Somente após colher o depoimento de Altair é que o delegado Antônio de Olim deixará o DHPP, na capital paulista, rumo a Guarulhos, onde irá ajudar os peritos a coordenarem uma espécie de primeira parte da reconstituição do caso Mércia. Também a pedido da promotoria, a Polícia Civil e a Polícia Técnico-Científica vão tentar reproduzir o caminho que o ex-namorado de Mércia fez no dia 23 de maio a partir do depoimento do próprio Mizael.

O objetivo é saber se a versão do réu é compatível com as informações das antenas de telefonia e do rastreador do carro dele. Segundo Mizael, ele ficou com o veículo parado em frente a um hospital de Guarulhos. Lá, chegou a conversar com uma mulher, que seria uma garota de programa. Os dados das antenas e rastreador mostram o contrário: o ex estaria perto da cena do crime.

A ‘reconstituição’ deverá começar a partir da casa de Mizael. Os trabalhos deverão terminar no final da tarde. Mizael, Evandro e seus advogados não vão participar. No advogado, da garota de programa, de Mércia e do vigia serão usados policiais civis. Eles serão fotografados e filmados.

2ª reconstituição

“Apesar de estarem chamando o trabalho que será feito lá de reconstituição, o nome técnico é vistoria. A reconstituição oficial mesmo ocorrerá na represa”, disse o perito Renato Pattoli nesta quarta.

Essa reconstituição oficial, citada pelo perito, e que recebe o nome técnico de reprodução simulada, ainda não tem data definida para ocorrer. Ela acontecerá na represa em Nazaré Paulista, onde o automóvel e o corpo de Mércia foram achados, e será baseada no depoimento de um pescador. A testemunha, que tem sua identidade protegida pela polícia, disse que viu um carro afundar no local no dia 23 de maio, numa noite de lua cheia. Contou ainda ter visto um homem deixar o veículo e que escutou gritos de mulher. A próxima fase de lua cheia deve ser entre 24 e 31 de agosto.

Para o Ministério Público, essa reconstituição na represa seria complementar à vistoria feita em Guarulhos. “Tanto as informações sobre a ‘reconstituição’ do trajeto de Mizael quanto a da versão do pescador na represa irão para o processo. Para mim, o que será feito em Guarulhos será a primeira etapa da reconstituição e o que virá em Nazaré, a segunda etapa”, afirmou o promotor Merli Antunes.

Nesta quarta, Evandro deverá comparecer ao Fórum de Guarulhos para comunicar que possui residência fixa. Após ficar um mês preso, ele teve a prisão preventiva revogada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) na segunda-feira (9). Mizael, que também já teve prisões decretadas contra ele, nunca foi detido porque fugia. Mesmo assim, o TJ também suspendeu as prisões dele. O mérito do habeas corpus dos réus ainda será julgado para saber se os dois poderão responder ao processo em liberdade. Isso deverá ocorrer este mês. Independentemente disso, a Procuradoria do TJ recorreu das decisões.     Postado por: Thatiane de Souza

veja também