MENU

Jaqueline Roriz pede cópia de vídeo em que aparece recebendo dinheiro

Jaqueline Roriz pede cópia de vídeo em que aparece recebendo dinheiro

Atualizado: Domingo, 13 Março de 2011 as 8:58

A defesa da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF) protocolou no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta sexta-feira (11) um pedido para obter cópia periciada do vídeo no qual ela aparece ao lado do marido, Manoel Neto, recebendo um pacote de dinheiro das mãos de Durval Barbosa, pivô do escândalo de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM de Brasília.

A petição assinada pelo advogado Herman Barbosa foi apresentada à Suprema Corte um dia após o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ter encaminhado ao STF o pedido de abertura de inquérito para investigar a deputada (veja vídeo acima).

No documento, de uma página, Herman pede ao relator do pedido de inquérito no STF, ministro Joaquim Barbosa, que requeira da Procuradoria Geral da República (PGR) a cópia do vídeo "devidamente periciado pela polícia técnica".

A perícia da gravação, no entanto, ainda não foi realizada. O relator do caso no STF ainda não analisou o pedido da PGR para que a Polícia Federal faça a perícia técnica na fita.A assessoria de Jaqueline Roriz disse ao repórter do G1 que a decisão de solicitar cópia da gravação foi tomada em reunião na manhã desta sexta na casa do pai da deputada, o ex-governador Joaquim Roriz. Com o gesto, a deputada mostra que tem intenção de obter informações para elaborar a defesa no caso, informou a assessoria.

Além de Herman Barbosa, outro advogado deve ser contratado nos próximos dias para defender Jaqueline Roriz. Por ser deputada federal, Jaqueline Roriz tem foro privilegiado. Por isso, precisa de autorização do Supremo para ser investigada.

No pedido de inquérito protocolado nesta quinta, Gurgel fez duas solicitações ao ministro Joaquim Barbosa. Segundo a assessoria da PGR, o procurador-geral da República pediu autorização para que a Polícia Federal realize a perícia no vídeo e tome o depoimento de Jaqueline.

O registro do inquérito no site do Supremo traz apenas as iniciais da deputada. Desde o ano passado, o Supremo omite o nome completo para preservar os investigados. O ministro Joaquim Barbosa vai analisar as evidências reunidas no caso para só então elaborar seu parecer.

veja também