MENU

Jobim diz que é preciso definir necessidades para segurança da Copa

Jobim diz que é preciso definir necessidades para segurança da Copa

Atualizado: Terça-feira, 12 Abril de 2011 as 1:59

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou nesta terça-feira (12), que antes de falar em valores de investimento em segurança para a Copa do Mundo de 2014, precisa definir as necessidades do evento.

“Não se fala em valor sem antes definir necessidades. Precisamos de um sistema (de segurança), só que não diz respeito só as Olimpíadas e a Copa do Mundo. Diz respeito a questão de segurança e defesa. É um sistema integrado de fiscalização do mar e das fronteiras, aí sim teremos uma integração completa”, afirmou o ministro, que participou junto com o presidente em exercício, Michel Temer, da inauguração da Laad, uma feira de defesa e segurança no Riocentro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Durante a abertura do evento, Temer afirmou que a defesa do país está bem organizada. “Na medida em que a defesa do Brasil está bem organizada, ela funciona bem em qualquer tipo de conflito”, disse.

Desarmamento

Sobre a questão do desarmamento, Jobim foi enfático ao dizer que esse assunto diz respeito ao Ministério da Justiça. “Se quiserem a presença das forças armadas, aí é outra coisa. A gerência e a decisão são do Ministério da Justiça”, disse.

A respeito da compra de caças, Jobim afirmou que nada foi decidido sobre o assunto. “Vamos aguardar um momento orçamentário melhor. A questão está com a presidente Dilma”, afirmou.

Cerimônia de condecoração

Mais cedo, o presidente Michel Temer esteve no Centro do Rio na cerimônia que condecorou os três policiais do Batalhão de Polícia Rodoviária que interromperam a ação do atirador Wellington Menezes de Oliveira, na Escola Tasso da Silveira, em Realengo.

Michel Temer fez um breve discurso, elogiou a política de segurança do governo do estado, citando o secretário de Segurança José Mariano Beltrame, e lembrou que a presidente Dilma Rousseff, antes de viajar para a China, recomendou que ele a representasse na cerimônia de promoção dos militares.

"Fora a parte da coragem, eles têm o senso de oportunidade e a tranquilidade para agir", resumiu Temer.      

veja também