MENU

Jovem agredido em livraria segue na UTI do Hospital das Clínicas

Jovem agredido em livraria segue na UTI do Hospital das Clínicas

Atualizado: Quarta-feira, 23 Dezembro de 2009 as 12

O designer Henrique de Carvalho Pereira, de 21 anos, que foi agredido com um taco de beisebol na tarde de segunda-feira (21) dentro de uma unidade da Livraria Cultura em São Paulo, segue internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas. Desde a agressão, ele foi submetido a duas cirurgias. O estado dele é considerado grave.

O jovem havia sido submetido a uma cirurgia que durou três horas e meia na noite de segunda para a retirada de um coágulo. Os médicos decidiram por um novo procedimento após a realização de uma tomografia, que revelou dois novos coágulos. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a segunda cirurgia, ocorrida na terça-feira (22), durou quatro horas.

Pereira sofreu traumatismo craniano. Exames realizados após o último procedimento não indicaram outros sangramentos. O paciente ficará sedado por três dias, a contar da última cirurgia. O suspeito da agressão, o personal trainer Alessandre Fernando Aleixo, de 38 anos, foi transferido na terça para o 2º Distrito Policial, no Bom Retiro, na região central de São Paulo.

O designer estava agachado, com um livro nas mãos, quando o agressor se aproximou em silêncio e o atacou com golpes na cabeça dentro da livraria, que fica no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Uma testemunha presenciou a agressão e chamou um policial militar, que negociou a rendição do suspeito. O personal trainer foi preso e encaminhado ao 78º Distrito Policial, nos Jardins. Ele irá responder por tentativa de homicídio.

Essa é a terceira vez que o suspeito é preso. Em 2007, ele foi processado por danos materiais. Em abril do ano passado, ele acabou detido após destruir, com um taco de beisebol, a vitrine de vidro da mesma loja. A ação assustou clientes e funcionários, mas ninguém ficou ferido. Na ocasião, ele foi liberado após assinar termo circunstanciado.

A mãe do homem de 38 anos disse que o filho insiste em afirmar não ter cometido o ato violento. "Ele diz que não fez nada", afirmou Judith Machado Aleixo, na delegacia, após conversar com o filho. Ela disse ainda que o homem estava tomando medicamentos nos últimos tempos, mas não sabe para quê. Chorando muito, a mãe lamentou que "outra família estivesse envolvida com isso e sofrendo tanto".

A Livraria Cultura diz não saber o motivo da agressão. A polícia suspeita que ele tenha escolhido a pessoa ao acaso. A agressão ocorreu em uma loja localizada no prédio do Conjunto Nacional. No local, são vendidos livros de arte e culinária.

Veja a íntegra do último boletim médico, divulgado na terça-feira:

" O paciente HENRIQUE CARVALHO PEREIRA encontra-se neste momento (11h50) internado na Unidade de Terapia Intensiva. Seu estado é muito grave.

Na segunda-feira, dia 21, ele deu entrada às 14h50 com traumatismo no crânio, cujos exames, incluindo tomografia, indicaram a existência de um coágulo.

Foi submetido a uma primeira cirurgia (craniotomia descompressiva) para retirada de desse coágulo. A cirurgia durou 3h30.

Nesta madrugada (22), novos exames indicaram a existência de dois novos coágulos, o que exigiu uma nova cirurgia realizada entre 3h00 e 7h00 desta manhã.

Depois dessa segunda cirurgia, exames de controle não revelaram novos sangramentos.

Ele permanecerá sedado ao longo das próximas 72 horas para proteção cerebral.

O paciente está sob cuidados da Equipe de Neurocirurgia do Pronto Socorro do Instituo Central do Hospital das Clínicas FMUSP ".

veja também