MENU

Jovem é baleada em tiroteio na saída de posto de saúde, no ES

Jovem é baleada em tiroteio na saída de posto de saúde, no ES

Atualizado: Quinta-feira, 10 Novembro de 2011 as 1:56

Uma jovem de 24 anos foi baleada na perna durante uma troca de tiros por volta das 11h desta quinta-feira (10), no bairro Nova Rosa da Penha II, em Cariacica, na Grande Vitória. Ela estava acompanhada do filho de 2 anos, na saída de um posto de saúde. De acordo com testemunhas, a vítima empurrava o carrinho de bebê onde estava o filho após levá-lo para receber uma vacina na unidade de saúde. A mulher foi socorrida por uma ambulância do posto do bairro vizinho e escoltada por uma viatura da Polícia Militar. A jovem foi encaminhada com vida para o Hospital São Lucas, em Vitória.

Segundo moradores, dois grupos de traficantes rivais entraram em confronto no meio da rua, em plena luz do dia. Mais de 10 bandidos, a maioria adolescentes, trocaram tiros por cerca de 15 minutos. "Foram muitos tiros. Fechamos as portas e nos escondemos. Não ficou ninguém na rua, mas a moça com o filhinho saiu do posto de saúde bem na hora que os disparos começaram", conta uma testemunha, que não quis ser identificada.

O posto de saúde foi fechado, as portas dos comércios abaixadas e moradores permaneceram reféns dentro de suas casas. A jovem baleada foi socorrida por funcionários do posto de saúde que acionaram uma ambulância, e a criança foi entregue à avó.

Momentos depois que a mulher foi levada para o hospital, um dos traficantes envolvidos no tiroteio procurou os trabalhadores da unidade buscando notícias sobre a jovem vítima de bala perdida. "Ele estava preocupado com a mulher, pois ela não era alvo", diz um funcionário. Mesmo depois que os tiros pararam, muitos bandidos continuaram circulando pelas ruas, exibindo armas.

Para o líder comunitário do bairro, Antônio Pereira da Silva, 59 anos, a situação é preocupante. "Já tivemos uma reunião com a Polícia Militar sobre as rondas aqui no bairro e tivemos a promessa de mais policiais circulando. Mas nada foi feito até agora", afirma. A Polícia Militar foi procurada pelo G1 mas ainda não se pronunciou sobre o caso.        

veja também