Jovem vira 'detetive' e usa aplicativo para recuperar celular furtado

Jovem vira 'detetive' e usa aplicativo para recuperar celular furtado

Atualizado: Sexta-feira, 7 Outubro de 2011 as 9:46

Talita Andrade negociou 'resgate' do aparelho

(Foto: Priscila Matos/Arquivo Pessoal)

  A estudante de Direito Talita Andrade utilizou um aplicativo de rastreamento de seu celular para encontrar o aparelho, que havia sido furtado em uma festa no sábado passado (1º), no estádio Pedro Pedrossian (Morenão), em Campo Grande. Segundo a jovem, após várias passagens frustradas por algumas delegacias, ela mesmo resolver ir atrás de suspeito com a ajuda de um policial, amigo da família.

De acordo com Talita, durante a festa, ela e seus amigos estavam deixando seus pertences em uma mesa, próximo do local onde estavam. Às 7 horas do domingo, ainda na festa, sentiu falta de sua bolsa, onde estavam o celular e outros pertences.

A jovem disse que procurou os seguranças da festa, que pediram para ela esperar, pois a polícia chegaria. Ela esperou quase uma hora e, então, decidiu procurar uma delegacia.

Após passar por três delegacias, em que encontrou um prédio fechado e uma em que os policiais disseram que não era de sua 'competência' registrar o furto, a jovem conseguiu fazer o boletim de ocorrência do caso, na Delegacia de Pronto-Atendimento Comunitário (Depac) do bairro Piratininga.   Na delegacia ela avisou aos policiais que em seu celular existia um aplicativo com um GPS que poderia ser acionado através da internet para localizar o aparelho. A jovem diz que os policiais a orientaram a ir para casa.

Revoltada, com o que classificou como descaso, Talita diz que acionou o dispositivo e descobriu que seu celular estava em uma casa no bairro Nova Lima, na região norte de Campo Grande. Ela conta que então ligou várias vezes para a Polícia Militar e que em todas recebeu sempre a mesma informação a de esperar, porque uma viatura passaria em sua casa.

A jovem contou que após outra longa espera, ninguém chegou. Talita então resolveu ir atrás do suspeito com a ajuda de alguns amigos da família que são policiais militares.

A jovem ligou para o seu aparelho e começou a negociar com o suspeito. Após várias ligações ela diz que negociou o valor de R$ 200 como 'resgate' para o aparelho e marcou com o homem que estava com o celular na rua Ceará, uma das mais movimentadas da cidade, para fazer o pagamento.

No local marcado e com os amigos policiais a paisana o suspeito foi detido. Ele disse que era segurança da festa que achou o celular dela no chão. O homem negou ainda que tivesse pedido dinheiro para devolver o aparelho. O suspeito foi encaminhado para Polícia Civil.

O G1 entrou em contato com as assessorias das polícias Civil e Militar e aguarda retorno sobre o caso.          

veja também