MENU

Jovens adultos: entre eles, preferência por marca depende da maturidade

Jovens adultos: entre eles, preferência por marca depende da maturidade

Atualizado: Quarta-feira, 6 Janeiro de 2010 as 12

A segurança e confiança que os jovens com idade entre 25 e 34 anos apresentam têm se refletido na hora de consumir uma marca ou conteúdo de mídia. Pesquisa revela que, nessa idade, a maior parte desse segmento da população busca aprender mais, desenvolver habilidades e se sentir mais segura. E esses sentimentos são procurados nos produtos que procuram.

De acordo com levantamento da Viacom Networks Brasil, há quatro tipos de perfil de jovens com idade entre 25 e 34 anos: os bem resolvidos, os pretendentes ao sucesso, os sonhadores nostálgicos e os garotos crescidos. Cada um deles tem uma relação diferente com a marca que consome.

A maior parte se encaixa no grupo dos ''bem resolvidos'' - mais positivos e responsáveis: 51% dos entrevistados brasileiros e 45% dos jovens entrevistados do mundo. Para eles, se manter em dia com as novidades tecnológicas é essencial.

A empresa ouviu 28 mil pessoas em 18 países e constatou que a visão de mundo desse grupo não é ignorada pelas empresas, que veem potencial nesse público. Segundo a Viacom, 45% dos investimentos publicitários de agências e anunciantes têm esses jovens como público-alvo.

Preferência da marca, depende de perfil

Nos demais perfis, a relação com a marca também é bastante particular. Os ''pretendentes ao sucesso'' acreditam que não conquistaram tudo o querem na vida e pensam no futuro, mas não fazem nada para torná-lo real. No Brasil, 36% se encaixam nesse perfil, ao passo que, no mundo, 32% estão nesse grupo.

Como esses jovens têm necessidade de se sobressair, marcas populares são as mais procuradas por eles. Aí se esconde um perigo. O levantamento constatou que, para ficarem atualizados em relação à moda, diversão e tecnologia, esses jovens estão mais dispostos a utilizar crédito para conseguir o que querem.

O grupo que se encaixa no perfil dos ''sonhadores nostálgicos'' tem gostos de adultos e saudade da juventude. De maneira geral, jovens com esse perfil tomam decisões importantes muito cedo e, por conta disso, não se interessam por assuntos ligados à cultura jovem. Marcas mais tradicionais têm a preferência desses consumidores.

No Brasil, 10% dos jovens entrevistados se encontram nesse perfil, ao passo que, no mundo, 17% estão nesse grupo.

Marcas exclusivas e autênticas são as preferidas dos jovens que estão no grupo dos ''garotos crescidos''. Nesse perfil, estão aqueles considerados muito otimistas e que não se preocupam com o futuro. De maneira geral, esse grupo tem maior renda e dita tendências para os demais grupos.

Mercado está de olho

Não é à toa que esse segmento da população é filão para o consumo. O levantamento contatou que, nessa idade, os jovens já sabem o que querem e começam a ter meios para realizar os seus desejos. E, ao contrário das gerações anteriores, a partir dos 25 anos, a pressão para conquistar estabilidade social é menor.

''A cobrança hoje é muito mais interna que externa'', explica Beatriz Mello, responsável pelo departamento de pesquisas da Viacom. Outro fator que contribui para que esse segmento da população seja um mercado atraente é que 52% dos jovens com idade entre 25 e 34 anos afirmam que ainda têm muito o que crescer. Entre os brasileiros, o percentual é bem maior, de 93%.

Além disso, o estudo constatou que, no mundo, 35% desses jovens são ambiciosos, porém, não conseguem realizar tudo o que desejam, por falta de dinheiro. A mesma percepção é verificada em 36% dos brasileiros.

veja também