MENU

Juiz decreta prisão temporária de 2 PMs envolvidos em mortes na Serra

Juiz decreta prisão temporária de 2 PMs envolvidos em mortes na Serra

Atualizado: Terça-feira, 1 Março de 2011 as 1:45

Dois policiais suspeitos de envolvimento na morte de duas pessoas no Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, tiveram a prisão temporária de 30 dias decretada nesta segunda-feira (28). A decisão foi do juiz do 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, Guilherme Queiroz Lacerda. De acordo com informações da polícia, Jéferson Coelho da Silva, de 17 anos, e Renilson Veriano da Silva, de 39, foram mortos no sábado (19).

Dos três policiais que estão presos, de forma preventiva, desde quarta-feira (23), o delegado que preside o inquérito pediu a prisão temporária de apenas dois. Com isso, a prisão vale por 30 dias. Um dos militares que está detido, segundo a Polícia Civil, acompanhava o grupo, mas não teria participado da confusão. Na sexta-feira (25), o outro policial, que seria o quarto envolvido, foi encontrado morto em uma das celas no 1º Batalhão da Polícia Militar (PM), em Belo Horizonte.

De acordo com a assessoria do Fórum Lafayette, o magistrado considerou que, além dos indícios de envolvimentos dos suspeitos nos homicídios, a liberdade deles, por enquanto, pode gerar temor para as testemunhas que estão sendo ouvidas.

Ainda segundo a assessoria, o pedido de prisão temporária feito pelo delegado teve parecer favorável do Ministério Público de Minas Gerais.

Entenda o caso

Na madrugada de sábado (19), Jéferson Coelho da Silva, de 17 anos, e Renilson Veriano da Silva, de 39, foram baleados e morreram no Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Após as mortes, moradores e policiais entraram em conflito e três ônibus foram incendidados, dois no sábado (19) e um no domingo (20).

Segundo informou a Polícia Militar, cerca de 20 pessoas estariam vestidas com fardas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) no sábado (19), no Aglomerado da Serra e, com a chegada da PM, teria começado um tiroteio. Moradores do aglomerado contestam a versão policial. Eles dizem que não houve troca de tiros, mas sim, que os disparos teriam sido feitos apenas pelos policiais. Um laudo de necropsia feita por peritos do Instituto Médico Legal (IML), divulgado pela Polícia Civil nesta quinta-feira (24), dá conta que Jéferson Coelho da Silva e Renilson Veriano da Silva foram mortos com tiros de arma de grosso calibre. Os tiros teriam sido disparados à distância curta e no peito dos homens, segundo a Polícia Civil.

A Polícia Civil investiga o caso e um Inquérito Policial Militar também foi aberto. O Ministério Público Estadual acompanha a apuração sobre as duas mortes.

Aglomerado da Serra

De acordo com a Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel), cerca de 50 mil pessoas moram no Aglomerado da Serra – aproximadamente 14,4 mil famílias. O aglomerado é o maior complexo de favelas de Belo Horizonte, e está localizado na Região Centro-Sul da capital perto dos bairros Santa Efigênia, Serra, Cruzeiro, entre outros. Ele é composto por seis vilas, Cafezal, Marçola, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora da Aparecida, Nossa Senhora da Conceição e Novo São Lucas.    

veja também