MENU

Julgamento de acusado de obrigar jovens a pular de trem começa em SP

Julgamento de acusado de obrigar jovens a pular de trem começa em SP

Atualizado: Quarta-feira, 28 Setembro de 2011 as 2:23

Começou no início da tarde desta quarta-feira (28) o julgamento do segundo de três skinheads acusados de obrigar dois jovens que vestiam camisetas com nomes de bandas punks a pularem de um trem em movimento em 7 de dezembro de 2003 em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. Por volta das 14h, os jurados que participarão do julgamento do réu Vinícius Parizatto já haviam sido escolhidos e faziam a leitura do resumo do processo no Fórum Central da cidade. Parizatto será julgado pelos crimes de homicídio e tentativa de assassinato. Uma das vítimas morreu na queda, enquanto outra perdeu o braço. Em maio deste ano, Juliano Aparecido de Freitas, conhecido como Dumbão, foi julgado pelos mesmos crimes e acabou condenado a 24 anos de prisão. Danilo Gimenez Ramos, o terceiro acusado pelos crimes, também aguarda julgamento. As vítimas são Cleiton da Silva Leite, que na época de sua morte tinha 20 anos, e Flávio Augusto Nascimento Cordeiro, então com 16 anos.

Os skinheads são conhecidos por pregar a discriminação contra negros, homossexuais, judeus e nordestinos. Os punks, que têm o anarquismo como ideologia, são considerados inimigos dos grupos neonazistas.   Agressão foi filmada

O processo contra os três réus foi desmembrado e cada um responde aos crimes em separado. Os réus negam os crimes e alegam que os jovens saltaram do trem por vontade própria. O episódio ocorreu numa composição da Linha E da CPTM, perto da Estação Brás Cubas.

Os agressores foram identificados após serem reconhecidos por testemunhas. As imagens deles foram gravadas pelas câmeras de segurança da CPTM e divulgadas pela imprensa. O momento do salto e a queda das vítimas também foram filmados pelo sistema interno da rodovia. As cenas mostram o desespero das vítimas obrigadas a pular.

Reprodução de imagens da CPTM mostram dois

jovens saltando de trem em movimento: um deles

morreu e outro perdeu o braço (Foto: Reprodução/arquivo)

  De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público contra os três acusados, as vítimas estavam acompanhadas de suas namoradas. Os dois jovens estavam a caminho de um shopping para jogar boliche. Os cabelos espetados com gel e camiseta de bandas punks chamaram a atenção dos skinheads.

Os “cabeças raspadas” estavam vestidos com coturnos, jaquetas e calças com detalhes militares. Além disso, estavam armados com machadinha e tchaco (instrumento de dois bastões ligados por uma corrente).

Ainda segundo a Promotoria, os agressores gritaram “ou pula ou morre” para os jovens. Com medo de serem mortos dentro do vagão, os dois saltaram com o trem em movimento.          

veja também