MENU

Justiça concede liberdade total ao cantor Belo

Justiça concede liberdade total ao cantor Belo

Atualizado: Sexta-feira, 19 Março de 2010 as 12

O cantor Belo não precisa mais pedir autorização da justiça para fazer shows ou viajar ao exterior. Com indulto concedido pela justiça, Marcelo Pires Vieira saiu do livramento condicional, que vinha cumprindo há cerca de dois anos. A Juíza Roberta Barrouin Carvalho de Souza, da Vara e Execuções Penais do Rio, extinguiu a pena do pagodeiro na última segunda-feira, dia 15. Belo ainda precisaria cumprir um ano e três meses de liberdade condicional.

“Ele ficou muito emocionado quando soube que não deve mais nada a justiça. Até chorou”, disse a advogada do cantor, Sandra Almeida, que precisou ligar para a mulher dele, a dançarina Gracyanne Barbosa, para dar a notícia ao cliente. “Ele não atendia o celular e eu estava ansiosa para contar a novidade."

De acordo com a advogada, Belo já tem convites para fazer shows em Portugal, Itália e Estados Unidos. Antes da decisão, o cantor não podia chegar em casa depois das 23h ou fazer shows sem a autorização da justiça.

Bom comportamento

A advogada entrou, então,  com pedido de indulto em fevereiro. “Bom comportamento e respeitar as regras da liberdade condicional foram fundamentais para que eu pudesse pleitear sua liberdade”, afirmou Sandra.

Este final de semana, o pagodeiro fará shows em Recife e, no seguinte, em São Paulo. Mas, segundo Sandra, a agenda do mês de março já estava toda autorizada pela justiça. “Não sabíamos que o indulto seria concedido e tínhamos que aprovar os eventos com antecedência para ter tempo de fazer a divulgação para o público”, explicou.

A condenação

Em 2002, Belo foi condenado a seis anos de prisão. Em 2003, os desembargadores da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio conseguiram, através de novo mandado de prisão, aumentar a pena para oito anos.

O cantor foi condenado por associação para o tráfico, por envolvimento com o traficante Waldir Ferreira, o Waldo, apontado como gerente do tráfico na Favela do Jacarezinho, subúrbio do Rio.

Na época, escutas telefônicas autorizadas pela Justiça flagraram o cantor negociando a compra de um fuzil com um traficante da Favela do Jacarezinho.

Por: Liana Leite

veja também