MENU

Justiça dá prazo para acordo entre motoristas e empresários no ABC

Justiça dá prazo para acordo entre motoristas e empresários no ABC

Atualizado: Sexta-feira, 3 Junho de 2011 as 3:19

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) suspendeu na tarde desta sexta-feira (3) o julgamento da legalidade da greve dos motoristas e cobradores do ABC, que cruzaram os braços durante três dias. Representantes dos empresários e dos trabalhadores, que propuseram a medida ao juiz Celso Peel Furtado, terão dez dias para negociar e formalizar um acordo. Nesta manhã, o sindicato pediu para que a categoria voltasse ao trabalho.

“É um passo melhor para a categoria a partir do momento em que a Justiça dá dez dias para rediscutir [o acordo]. Não foi uma vitória, mas foi um reconhecimento”, disse o presidente do Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC, Francisco Mendes da Silva, o Chicão, logo após a suspensão da audiência na sede do TRT, na região central de São Paulo.

“O melhor caminho é a negociação. O pior caminho é o julgamento. Eu não tenho dúvida”, afirmou o advogado Francisco Bernardino Ferreira, que representa os 30 empresários do setor de transportes.

A tendência é que o índice de reajuste para a categoria fique em 7,8%, mas o sindicato deve tentar conseguir com os empresários que eles mantenham a proposta apresentada antes da deflagração da paralisação. Os empresários haviam proposto inicialmente um aumento no Plano Lucros e Resultados (PLR) de 33% para os cobradores e de 12% para os motoristas e um aumento maior no vale refeição.

A assessoria de imprensa do TRT afirmou que a multa de R$ 200 mil por dia parado que a Justiça já havia previsto durante a audiência de conciliação do dia anterior não foi discutida. No entanto, o advogado do sindicato José Alberto Moraes Alves Blandy disse que, não havendo julgamento, não há aplicação da multa.

Assembleia

Nesta manhã, durante assembleia realizada na frente da sede do sindicato, em Santo André, os sindicalistas apresentaram os termos da proposta de conciliação, que prevê aumento de 7,8% no salário e no vale refeição, volta ao trabalho imediata e estabilidade de emprego de 90 dias.

Uma parte dos motoristas e cobradores não aprovou o acordo e queria a continuidade da paralisação. No entanto, pouco a pouco, os ônibus voltaram a circular na região. A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) informou no início da tarde que 95% dos ônibus circulavam pelas cidades da região do ABC. Em relação aos trólebus, 104 ônibus faziam no início desta tarde o percurso do corredor entre São Mateus e Jabaquara, o que representa 70% da frota.          

veja também