MENU

Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de racha que matou jovem

Justiça decreta prisão preventiva de suspeito de racha que matou jovem

Atualizado: Quarta-feira, 23 Novembro de 2011 as 9:17

Audi ficou destruído após atropelamento (Foto:

Juliana Cardilli/G1) A Justiça de Campinas, no interior de São Paulo, decretou nesta terça-feira (22) a prisão preventiva, pelo prazo de 60 dias, dos dois empresários envolvidos em um racha que resultou na morte do professor de jiu-jítsu Kaio César Alves Muniz Ribeiro, de 23 anos. O jovem foi atropelado pelo carro dirigido por Adriane Aparecida Pereira Diniz Ignácio de Souza, de 42 anos. O acidente aconteceu na madrugada de sexta-feira (18).

De acordo com a Polícia Civil de Campinas, Adriane e um empresário de 32 anos disputavam um racha quando o Audi A3 da motorista atropelou o jovem. O advogado dela nega que ela participasse de um racha. A empresária foi levada para a Cadeia Feminina de Paulínia. O empresário, que dirigia um Camaro, foi para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas.

A Polícia Civil havia pedido a prisão preventiva também na terça. Segundo a decisão, a libertação dos autuados poderia trazer sensação de insegurança à população.

O juiz Sérgio Araújo Gomes, da 2ª Vara do Júri , negou na segunda-feira (21) o relaxamento da prisão em flagrante solicitada pelos advogados que pediram, na sexta-feira (18), que eles respondessem os processos em liberdade. A decisão do magistrado acompanha um parecer do promotor Fernando Viana do Ministério Público (MP), que indicava que a soltura dos dois representaria um risco à sociedade, uma vez que eles têm o poder de desestabilizar a ordem pública com atos perigosos. "A libertação dos autuados 72 horas após o ocorrido poderia, em tese, trazer à população, já perplexa com a violência no trânsito, intensa sensação de insegurança e de intranquilidade, o que se deve sempre evitar", informou em nota publicada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Kaio havia saído da casa da namorada e estava na calçada da Avenida Júlio Prestes, no Taquaral, quando o carro o acertou. Segundo a polícia, os empresários negaram estar participando de um racha, mas policiais viram os carros em alta velocidade cerca de dois quilômetros antes do local do acidente. Após teste de bafômetro, foi constatada que a empresária ingeriu álcool acima do limite autorizado pela legislação para motoristas. O empresário não quis fazer o teste, mas fez exame de sangue. O resultado ainda não foi divulgado.

Campeão

Kaio era atleta da Federação do Estado de São Paulo de Jiu-Jítsu. Ele era vice-campeão brasileiro e campeão paulista na categoria adulto, faixa marrom. No fim de semana passado, ele iria participar de uma competição em Mogi Guaçu, no interior do estado. O sepultamento ocorreu por volta das 9h deste sábado (19) no Cemitério da Saudade.        

veja também