MENU

Justiça do Acre condena Hildebrando a mais de 11 anos de prisão

Justiça do Acre condena Hildebrando a mais de 11 anos de prisão

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 8:22

O ex-deputado federal e coronel reformado Hildebrando Pascoal foi condenado na noite desta segunda-feira a 11 anos e seis meses de prisão pelo crime de sequestro e cárcere privado de Clerisnar dos Santos Alves, esposa de José Hugo, e dos filhos Havila César e Arelc dos Santos Alves.

O júri também condenou Manoel Maria Lopes, o "Coroinha", a dez anos de reclusão. O ex-sargento da Polícia Militar Alex Barros recebeu pena de dez anos em regime fechado. O empresário Ney Roque e o policial militar Marco Antônio receberam oito anos e seis meses de reclusão. O primo de Hildebrando, o ex-comandante da PM, Aureliano Pascoal, foi o único a ser absolvido.

O julgamento, marcado para começar às 8h30, teve início às 10h30 depois que Hildebrando Pascoal decidiu desconstituir o advogado de defesa, Armisson Lee, e pediu a nomeação do defensor público Valdir Perazzol, o que foi aceito pelo juiz Leandro Leri Gross.

Depois de aberta a sessão, o ex-deputado federal usou o direito de ficar em silêncio e não responder as perguntas. O primo e ex-comandante chegou a chorar e teve dificuldades de se expressar perante o júri.

Para defender o coronel reformado, Perazzo negou que seu cliente tivesse cometido o crime.

Hildebrando Pascoal foi preso em 1999 acusado de liderar um grupo de extermínio, integrar esquema de crime organizado para tráfico de drogas e roubo de cargas.

Ele já foi condenado por dois homicídios, sequestro, tráfico internacional de drogas, formação de quadrilha, crimes eleitorais e financeiros. No total, Hildebrando já foi sentenciado a mais de 130 anos de cadeia.

CASO CLERISNAR

Clerisnar Alves e os filhos, que eram menores, foram sequestrados em 1996 pelos condenados. Na época, o esposo da vítima, José Hugo, foi acusado de matar o irmão de Hildebrando, Itamar Pascoal.

Hugo acabou fugindo e o grupo resolveu pegar a família do suposto pistoleiro para descobrir o paradeiro dele. As vítimas teriam sido levadas para um sítio, onde foram torturados.

Clerisnar Alves morreu de câncer há dez anos.

Lista de acusados e sentenças

Alex dez anos de reclusão regime aberto

Hildebrando 11 anos e seis meses de reclusão fechado

Marco Antônio César da Silva oito anos e seis meses de reclusão fechado

Manoel Maria dez anos de reclusão fechado

Ney Roque oito anos de seis meses de reclusão

Aureliano Pascoal foi absolvido

veja também