Justiça Militar condena PMs por furto, extorsão e atentado violento ao pudor

Justiça Militar condena PMs por furto, extorsão e atentado violento ao pudor

Atualizado: Quarta-feira, 18 Maio de 2011 as 4:38

A Justiça Militar condenou os policiais militares Marcelo Machado Carneiro e Rodrigo Nogueira Batista por furto qualificado, extorsão mediante sequestro e atentado violento ao pudor, segundo informações da assessoria do Tribunal de Justiça (TJ).

De acordo com o TJ, na noite do dia 27 de novembro de 2009, perto da estação do metrô do Estácio, na Zona Norte do Rio, os policiais em serviço, fardados e com armas de fogo, furtaram R$ 1.750 da vendedora Helena Cristina Pires Moreira, de 24 anos, e, sob a alegação de que ela era mulher de traficante, exigiram R$ 20 mil para liberá-la.

Durante mais de uma hora, eles a mantiveram em seu poder e, ao chegarem ao Alto da Boa Vista, na Vista Chinesa, Helena Cristina passou por uma revista íntima e foi vítima de tentativa de homicídio.

Pela sentença da juíza Ana Paula Monte Figueiredo, titular da Auditoria da Justiça Militar do Rio, Marcelo terá de cumprir 15 anos, sete meses e seis dias de reclusão, e Rodrigo, 18 anos.

Embora eles tenham negado a autoria dos crimes, a juíza disse que as declarações das vítimas e das testemunhas “se mostraram aptas e idôneas a ensejar o presente decreto condenatório”.

Ela considerou também o mapa do GPS da viatura dos réus, que confirmou o trajeto percorrido por eles na noite dos fatos, além de vestígios encontrados na Vista Chinesa, como as sandálias da vítima, plantas com sangue e um estojo deflagrado de munição.

Condenação na Justiça comum

O TJ informou ainda que esta não é a primeira condenação do PM Rodrigo Nogueira Batista relacionado a esse crime na Vista Chinesa. No dia 7 de abril deste ano, o 2º Tribunal do Júri da Capital o condenou a 12 anos e oito meses de prisão, em regime inicialmente fechado, pela tentativa de homicídio triplamente qualificado da vendedora Helena Cristina.

De acordo com a Justiça, Rodrigo foi o autor do disparo de fuzil que atingiu o rosto da jovem. Na ocasião, o juiz Jorge Luiz Le Cocq D’Oliveira, presidente do júri, decretou a perda do cargo do policial. O outro acusado, o PM Marcelo Machado Carneiro será julgado em data a ser marcada pelo 2º Tribunal do Júri.        

veja também