MENU

Justiça nega pedido de prisão de suspeito de matar miss no RS

Justiça nega pedido de prisão de suspeito de matar miss no RS

Atualizado: Terça-feira, 28 Dezembro de 2010 as 11:18

A juíza Milene Fróes Rodrigues Dal Bó, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Caxias do Sul (RS), negou o pedido de prisão preventiva do suspeito de assassinar a modelo Caren Brum Paim, de 22 anos. A jovem foi encontrada morta no dia 1º deste mês, em Caxias do Sul. Ela era candidata ao concurso Miss Itália Brasil.

O principal suspeito de ter cometido o crime é um vizinho de Caren. Segundo a polícia, ele confessou o assassinato. O pedido de prisão preventiva do suspeito foi feito pelo Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul, na quinta-feira (23). A decisão da juíza Milene foi expedida no mesmo dia, segundo o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

O Ministério Público informou, em nota, na segunda-feira (27), que irá recorrer da decisão.

Entenda o caso

Caren foi encontrada morta, com fios de fone de ouvido de telefone celular enrolados no pescoço. Segundo a polícia, o crime teria sido cometido na casa do vizinho, que teve ajuda da mãe para transportar o corpo da vítima até a Zona Rural de Caxias do Sul.

Dias antes de ser encontrada morta, Caren teria discutido com o vizinho em uma festa. O desentendimento foi presenciado pelo fotógrafo Robson Ramos, que foi contratado pela vítima para fotografá-la no evento.

A jovem morava na cidade gaúcha há quatro anos e estudava Ciência da Computação.

O delegado responsável pelo caso, Marcelo Grolli, concluiu o inquérito policial em 9 de dezembro, com o indiciamento do vizinho da vítima, por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, e a mãe dele, por ocultação de cadáver. Os dois, entretanto, permanecem soltos. "Eles confessaram o crime, mas entendemos, pelo Código de Processo Penal, que não havia embasamento para representar pela prisão preventiva deles. Alguns laudos não ficaram prontos ainda, mas são peças complementares que não vão alterar o relatório final."

veja também