MENU

Justiça suspende prisões de 95 por fraudes ambientais em MT

Justiça suspende prisões de 95 por fraudes ambientais em MT

Atualizado: Quinta-feira, 27 Maio de 2010 as 4:58

O juiz Tourinho Neto, do TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região, concedeu 95 habeas corpus para todos os indiciados pela Polícia Federal na operação ''Jurupari'', deflagrada em Mato Grosso na semana passada para desmontar um suposto esquema de fraudes ambientais.

Entre os libertados estão Janete Riva, mulher do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Riva (PP); Luiz Henrique Daldegan, o ex-secretário de Meio Ambiente de Mato Grosso; e o ex-chefe de gabinete do governador Silval Barbosa (PMDB), Silvio Cézar Correa.

Até ontem, a PF havia conseguido cumprir 65 dos mandados expedidos pelo juiz Julier Sebastião da Silva, da Justiça Federal de Mato Grosso.

Segundo trecho de nota divulgada pela assessoria do TRF, Tourinho Neto considerou a decisão que determinou as prisões como ''genérica'', abrangendo ''todos os investigados sem individualizar a conduta de cada paciente''.

O magistrado também pediu explicações ao juiz de primeira instância a respeito de uma anotação que constava em uma versão aparentemente não revisada de sua sentença.

''Se nato [sic] tiver político, não precisa analisar'', escreveu o juiz, manifestando dúvida sobre a propriedade de uma das fazendas investigadas.

Para advogados de defesa dos acusados, o ''deslize'' é apontado como uma evidência do ''caráter político'' da operação.

A Folha ainda busca contato com o juiz Julier Sebastião.

Por Rodrigo Vargas

veja também