MENU

Kassab encaminhou denúncia de propina em feira para investigação

Kassab encaminhou denúncia de propina em feira para investigação

Atualizado: Sexta-feira, 22 Julho de 2011 as 2:08

Kassab disse já saber sobre denúncias de propina

na feirinha da madrugada (Foto: Juliana Cardilli/G1)

  O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, confirmou nesta sexta-feira (22) ter recebido cartas que denunciavam a cobrança de propina de comerciantes na feirinha da madrugada do Brás, no Centro de São Paulo. Nesta quinta-feira (21), o Ministério Público Federal requisitou que a Polícia Federal abra um inquérito para apurar a cobrança de propina no local por parte de integrantes do Partido da República (PR).

“Foram várias [cartas com denúncias], todas elas encaminhadas aos órgãos competentes. Várias, várias, essa é uma delas, todas elas encaminhadas”, afirmou o prefeito, referindo-se a uma carta enviada pelo ex-administrador do local, recebida pelo prefeito em março deste ano, segundo reportagem do jornal “Folha de S. Paulo”. “Nós assumimos a área a pedido do governo federal para enfrentar esse crime."

O G1 procurou o PR em Brasília e São Paulo, nesta quinta e sexta-feira. No diretório paulista, a informação é que apenas em Brasília seria comentada a denúncia. Procurada, a assessoria de imprensa do partido em Brasília ainda não se pronunciou. Valdemar Costa Neto também não foi localizado.

A feira era administrada até 2010 pelo Governo Federal, que pediu ajuda à Prefeitura de São Paulo no trabalho. A transferência do terreno e da administração está sendo finalizada. Segundo Kassab, as denúncias sobre os crimes ocorridos na feirinha têm fundamento. “Essa é uma área do governo federal, que está consciente que o crime tinha invadido a área, explorando pessoas indevidamente, de uma maneira criminosa agindo no local, pediu que a Prefeitura assumisse a área e o ajudasse a enfrentar”, explicou.  

Apesar de ter recebido as cartas, Kassab não comentou sobre o conteúdo delas. “Não cabe ao prefeito analisar, examinar, e, sim, encaminhar para os órgãos de polícia”, afirmou. Segundo ele, as ações para combater o crime na feirinha estão sendo finalizadas – “Em pouco tempo o crime será totalmente debelado”, disse o prefeito.

Cartas

Em carta escrita a um empresário considerado “amigo”, o vereador Agnaldo Timóteo (PR-SP) pergunta: “você se lembra que os oportunistas do meu partido te exigiram R$ 300 mil mensais?”. No fim da carta, o vereador ainda cita o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP). Diz que se o empresário não o tivesse “peitado”, não teria perdido “a galinha com ovos de ouro”.

O empresário administrou, entre 2004 e 2010, a chamada Feira da Madrugada, que reúne milhares de ambulantes na região central da capital paulista. Ele é suspeito de receber dinheiro de forma ilegal dos comerciantes locais. Procurado pelo G1 , Timóteo confirmou ser o autor da carta, escrita em papel timbrado da Câmara dos Deputados em 31 de março deste ano. “Ele (o empresário) estaria usando o terreno de maneira indevida, cobrando aluguéis de uma área que não era dele”, disse o vereador.

“Ele (o empresário) me disse que alguém do PR o havia procurado por um cidadão dizendo que era do meu partido e estava exigindo R$ 300 mil. Não tenho por que acreditar que ele pagava essa importância”, afirmou Timóteo, que ressaltou não saber quem seria o suposto representante do PR.              

veja também