MENU

Ladrão passou em delegacia antes de morrer com tiros de armadilha

Ladrão passou em delegacia antes de morrer com tiros de armadilha

Atualizado: Sexta-feira, 15 Julho de 2011 as 3:02

Dispositivo construído pelo dono da

casa para evitar a entrada de ladrões no local.

(Foto: Reprodução/TV Globo)

  O homem que morreu nesta quarta-feira (13) atingido por dois tiros de uma armadilha feita com ratoeira esteve na delegacia pouco antes de invadir o local onde estava a arma caseira. A informação é do delegado Carlos Firmino, de Formosa, no Entorno do DF, responsável pela investigação da morte.

Jefferson Marques Evangelista, de 32 anos, compareceu à 1ª DP na manhã da última quarta para depor por causa de uma acusação de furto. “Ele chegou atrasado e, como tínhamos que ouvir outras pessoas, perguntamos se ele não poderia falar à tarde. Mas ele disse que tinha que trabalhar”, lembra o delegado. Jefferson Marques teria ficado na delegacia até por volta do meio-dia. Ele foi morto às 13h20.

Apesar de ser investigado por vários furtos, não havia mandado de prisão contra Jefferson. “É difícil conseguir uma preventiva para esse tipo de crime, porque não há violência. Ele não fugia da polícia. Sempre que era intimado, comparecia”, diz o delegado.

A polícia investiga também se o homem morto era usuário de drogas. “A informação que temos inicialmente é que ele era dependente e que cometia esses furtos para comprar drogas”, destacou Firmino.   O delegado contou que o furto é o crime mais recorrente em Formosa, que fica a 79 quilômetros de Brasília. “Por ser uma cidade-dormitório, os marginais se aproveitam da ausência dos donos da residência para cometer os roubos”, acredita.

Inquérito policial

O dono da casa que montou a armadilha deve ser indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar. “Inicialmente, avaliamos que houve excesso na legítima defesa. A ação dele foi imoderada”, comentou o delegado.

Para Firmino, a morte poderia ter sido evitada e o bandido preso. “Uma vizinha viu quando o ladrão invadiu a casa e chamou a polícia. Quando os PMs chegaram, o bandido já estava morto”, contou.

A polícia busca agora provas testemunhais e periciais para concluir o inquérito. O dono da casa deve ser ouvido a partir das 15h desta sexta-feira (15), na delegacia de Formosa.

O proprietário da residência não tem ficha criminal. Ele não estava em casa quando o bandido invadiu o local. Segundo informações iniciais, a armadilha foi uma tentativa de evitar mais roubos. “Tivemos notícia de que a casa dele havia sido invadida oito ou nove vezes. Vamos puxar os boletins de ocorrência para conferir isso”, indicou Carlos Firmino.

Se condenado por homicídio doloso, o dono da casa pode pegar até 30 anos de prisão. Ele vai responder ao processo em liberdade porque não houve flagrante.          

veja também