MENU

Latrocínios no DF crescem 33%, e homicídios, 10%, diz polícia

Latrocínios no DF crescem 33%, e homicídios, 10%, diz polícia

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 2:04

Os casos de latrocínio (roubo seguido de morte) tiveram um aumento de 33,3% no Distrito Federal nos 11 primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2010, informou nesta terça-feira (29) o comando da Polícia Civil. Foram 52 casos registrados de janeiro até a manhã desta terça, contra 39 no mesmo período do ano passado.

Também houve aumento no número de homicídios, de 611 para 674 (10,3%), roubos com restrição de liberdade, de 520 para 615 (18,2%) e de ocorrências relacionadas à Lei Maria da Penha, de 9.935 para 10.171 (2,3%).

Dentre os principais crimes, houve redução apenas nos casos de furtos, que caíram de 5.599 nos primeiros 11 meses de 2010 para 5.024 no mesmo período de 2011 (-10,2%) e roubos de veículos, de 2.763 para 2.451 (-11,3%).

Os dados foram divulgados durante a apresentação do novo sistema de monitoramento de crimes em tempo real do DF. A ferramenta vai permitir à Polícia Civil acompanhar todas as ocorrências registradas nas delegacias do DF com atualização dos dados a cada 15 minutos. Segundo o diretor da Polícia Civil do DF, Onofre Moraes, no projeto, batizado de Polaris, toda a base de dados vai estar integrada até fevereiro de 2012. “O novo sistema poderá nos ajudar a prevenir os crimes, pois poderemos descolar policiamento para as áreas onde existem mais ocorrências”, explicou.

Segundo o responsável técnico pelo sistema, Roberto Zandonaide, a base de dados da PCDF não era integrada e apresentava informações dispersas de ocorrências policiais, recursos humanos e administrativos. “O sistema ajudará a responder perguntas, dúvidas, traçar estratégias e ações”, afirmou.

Estatísticas

A base de dados terá 40 milhões de registros. No caso de roubos ou furtos de veículos, o sistema vai poder informar os modelos mais visados pelos ladrões, a cor, ano do veículo, local e horário da ocorrência.

O sistema apontou, por exemplo, que os roubos com restrição de liberdade registrados neste ano ocorreram com maior frequência no Plano Piloto (97 ocorrências), seguido de Taguatinga (90). Em Brasília, a área onde mais ocorre esse tipo de crime é a Asa Norte – principalmente na Universidade de Brasília (UnB) e na CLN 409 –, com incidência maior às segundas e sextas-feiras.

Em relação ao tráfico de drogas, as delegacias com mais casos registrados em 2011 foram as da Criança e do Adolescente (328) e da Criança e do Adolescente 2 (170).

A 6ª DP, no Paranoá, é a que mais registrou homicídios em 2011, com 56 ocorrências, seguida da 33ª DP, em Santa Maria, com 48 casos. Os homicídios são mais registrados em Ceilândia Norte, na QNM 4, e acontecem com mais frequência das 18h à meia-noite.        

veja também