MENU

Leilão de quadros pintados por antas atrai curiosos em SP

Leilão de quadros pintados por antas atrai curiosos em SP

Atualizado: Quinta-feira, 16 Junho de 2011 as 8:14

Carina e o namorado olham os quadros pintados pelas

antas (Foto: Carolina Iskandarian/ G1)

  Ao microfone, a pesquisadora Patrícia Medici pediu que todos voltassem para casa com uma “obra antológica”. Foi dela a ideia de realizar o primeiro “leilão silencioso” feito com telas pintadas por antas. O evento ocorreu na noite desta quarta-feira (15) no Zoológico de São Paulo. Em vez de pincéis, os bichinhos usaram a tromba e a língua para colorir telas em uma pintura abstrata, que chamou a atenção de muitos curiosos.

A auditora Carina Magrine, de 28 anos, foi ao Espaço Dom Pedro para acompanhar o namorado, funcionário do zoo. “Vim por curiosidade, estou achando estranho, mas é interessante”, disse ela, enquanto observava o resultado das pinceladas. O lance inicial dos quadros foi de R$ 200. O leilão foi chamado silencioso porque os lances eram anotados em pranchetas penduradas ao lado das obras. “A gente queria uma atmosfera mais tranquila, sem aquela gritaria”, explicou Patrícia, Pesquisadora do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ).

  O comprador tinha que colocar o nome completo e o valor que estava disposto a pagar, podendo disputar o quadro com outras pessoas. “Estou deprimido porque elas pintam melhor do que eu”, brincou o publicitário Fernando Chamma, 51, que deu o lance para um desenho de uma anta com seu filhote feito pela artista Anita Ljung. “Fiquei impressionada em saber que um animal pintou as telas. É espetacular. Eu levaria pela ideia”, afirmou a mulher de Chamma, a advogada Rossana Seganfredo, de 46 anos.

No evento “Antas Pintoras 2011”, também foram a leilão fotografias, cartoons, gravuras e xilogravuras. Essas obras feitas por gente mesmo. A consultora de ecoturismo Paula Arantes, 40, estava encantada não só com as telas, mas com as fotos. “Adorei a história de como as antas pintaram.”

Biografia das antas

Fernando deu lance para levar o desenho de uma anta

(Foto: Carolina Iskandarian/ G1)

  Para que o comprador soubesse mais sobre o “artista”, junto às telas havia a história daquela anta. Jutal, por exemplo, tem 27 anos. Conta-se que é “artista de primeira viagem” e fica hesitante diante de telas brancas. Tímida, a anta pinta “na parte interna do recinto” onde vive e faz sua arte abstrata com a “tromba, a língua e o queixo”. Já o macho Sledge, só pinta se o tratador deixar em cima da tela maçãs e biscoitos para que possa beliscar enquanto trabalha.

As 13 antas que tiveram suas obras expostas vivem em seis zoológicos dos Estados Unidos. As telas foram doadas para o IPÊ e o valor arrecadado com a venda no leilão será usado em pesquisas de proteção desse animal no Brasil. Patrícia Medici contou que um dos principais objetivos do evento é alertar sobre a importância de se preservar as antas. Ela estimou que se todas as peças fossem vendidas, incluindo as feitas pelos artistas humanos, a soma chegaria a R$ 30 mil.

Paulo Bressan, diretor do Zoológico, estava namorando uma das telas. “Curiosamente, a gente está olhando essas telas abstratas. Não dá para dizer que foi feito por anta”, afirmou ele, que já tinha um canto na parede de seu escritório reservado para o quadro amarelo, caso o levasse para casa. “Pretendo dar o lance. Esse é um tipo de evento que não é comum na cultura que temos sobre as antas. Todos falam de preservação, mas poucos fazem.”

Até as 22h, o leilão parecia tímido, com poucos lances marcados nas pranchetas. Novamente Patrícia foi ao microfone pedir a compra das obras e também agradecer a presença de todos. E avisou “espalhem a notícia. A anta é um animal extremamente inteligente”.

Antas vivem em zoos dos EUA. Elas usaram a lingua e a tromba para pintar (Foto: Carolina Iskandarian/ G1)            

veja também