MENU

Leilão para projeto social de favela de SP tem até guitarra de Mick Jagger

Leilão para projeto social de favela de SP tem até guitarra de Mick Jagger

Atualizado: Quinta-feira, 12 Agosto de 2010 as 8:09

Uma guitarra de Mick Jagger, um boné de Bono Vox e o terno que o presidente Lula usou na primeira posse, em 2003, são atrações em um leilão que deve acontecer na próxima segunda-feira (16), em São Paulo. A renda será revertida para um programa de alfabetização em Paraisópolis, a segunda maior favela da capital, com 80 mil habitantes. A iniciativa é do cabeleireiro Wanderley Nunes, um dos mais badalados entre as celebridades. Coube a ele usar sua influência no meio das artes e da política para juntar as peças. Quem for a um bar no Itaim Bibi, na Zona Sul, onde ocorrerá o evento, pode ter a chance de arrematar uma camisa do jogador Kaká autografada pelos jogadores da seleção, uma caneca autografada por Jô Soares, um capacete de Emerson Fittipaldi e uma jaqueta de couro do modelo Jesus Luz, namorado de Madonna.

O prefeito Gilberto Kassab doou um quadro com a imagem do Vale do Anhangabaú pintado pela artista plástica Cristiane Carbone. Há ainda joias e muitos vestidos doados por estilistas bem conhecidos no mundo da moda, como Walter Rodrigues, Isabela Capeto, Carlos Miele, Gloria Coelho e Alexandre Herchcovitch. Pelé também mandou uma camisa autografada. Já Oscar Schimidt contribuiu com uma bola de basquete e um par de tênis.

De acordo com a assessoria de imprensa do cabeleireiro, a madrinha do evento será a primeira-dama Marisa Letícia, que corta com Nunes – ele costuma ir a Brasília para atendê-la. A ideia do leilão surgiu de forma curiosa, segundo Gilson Rodrigues, presidente da associação de moradores da favela, que tem cerca de 80 mil habitantes. “O Wanderley estava passando pelo ladeirão (que dá acesso à comunidade) e, de impulso, resolveu entrar para conhecer. A rua que ele subiu chega aqui na associação. Ele me disse que queria montar um projeto para ajudar a comunidade.”

A visita surpresa ocorreu no início de fevereiro deste ano e o cabeleireiro deixou um cartão para contato posterior. “A proposta é criar um projeto de qualificação profissional na área de beleza e moda”, explica Rodrigues. A equipe de Nunes deve capacitar moradores de Paraisópolis para vagas de cabeleireiros, manicures e costureiras.

De acordo com Rodrigues, essa será uma segunda etapa da parceria com Nunes, dono do salão Studio W. Isto porque o dinheiro arrecadado com o leilão será revertido para o Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos Escola do Povo, que funciona em Paraisópolis desde 2003.

Nunes diz ter muitos planos para Paraisópolis. “Eu quero criar cursos profissionalizantes dentro da favela. Quando fui pesquisar, descobri que existem muitas pessoas que poderiam estar trabalhando, mas não sabem o básico, que é ler e escrever”, conta o cabeleireiro. O “trabalho de base” dele na comunidade tem como meta alfabetizar 15 mil habitantes. “Já morei em uma favela, sei das dificuldades que os moradores passam. Porque não ajudar essas pessoas?”, questiona.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também