MENU

Linha Ouro do Metrô deve ser entregue em 2013, diz Goldman

Linha Ouro do Metrô deve ser entregue em 2013, diz Goldman

Atualizado: Quinta-feira, 1 Julho de 2010 as 8:49

O governador de São Paulo, Alberto Goldman, afirmou nesta quarta-feira (30) que a Linha 17 - Ouro do Metrô será entregue em 2013. A licitação das obras, com custo previsto de R$ 3,2 bilhões, pode ser finalizada ainda neste ano. Goldman negou que o cronograma tenha sido alterado em função da exclusão do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, na Zona Sul de São Paulo.

Goldman fez as afirmações após a assinatura de convênio com a Prefeitura de São Paulo para a construção. Caberá ao município o investimento de R$ 334,5 milhões. Na última sexta-feira (25), a lei que autoriza o governo estadual a obter financiamentos nacionais e internacionais foi sancionada por ele. Cerca de R$ 1,08 bilhão serão financiados pela Caixa Econômica Federal e R$ 200 milhões pelo BNDES. Ao estado caberá o investimento de cerca de R$ 1,5 bilhão. Goldman não precisou se o projeto de construção da Linha Ouro ainda receberá investimentos do PAC da Mobilidade Urbana da Copa do Mundo de 2014. "Esses empréstimos estão pedidos, independente da Copa do Mundo”, disse o governador.

A Linha Ouro do Metrô vai ligar o Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, à região do Morumbi. Vai operar em todo seu trajeto em monotrilhos na superfície e  terá capacidade para transportar 230 mil pessoas por dia na cidade de São Paulo.

De acordo com o governador, por ser uma linha de superfície o custo de construção e o prazo para a entrega são menores. "É mais barato e mais rápido e tem, provavelmente, menos desapropriações", afirmou. 

O convênio assinado com a prefeitura estabelece um grupo de trabalho composto por secretaria estaduais e municipais responsável pela elaboração das licitações, obtenção de licenças ambientais e estudos relativos às desapropriações.

Durante a assinatura do convênio, Goldman afirmou repetidas vezes que a verba para a construção que vem da Caixa Econômica Federal e do BNDES não vem de graça. "Não é dinheiro dado, é dinheiro emprestado e o estado de São Paulo irá pagar juros", disse. "Dinheiro da Caixa e do BNDES é dinheiro que vem em grande parte do estado de São Paulo que contribui com a maioria dos impostos nacionais. Não estão nos fazendo nenhum favor."

veja também