MENU

Longa de Arnaldo Jabor ganha versão para o teatro

Longa de Arnaldo Jabor ganha versão para o teatro

Atualizado: Quinta-feira, 11 Novembro de 2010 as 1:04

Quem não se lembra do relacionamento cheio de paixão e desejo vivido Sônia Braga e Paulo César Peréio no filme "Eu te Amo", de Arnaldo Jabor? O clássico acaba de ganhar versão para os palcos pelas mãos de Juliana Martins, que além de produzir o espetáculo, divide a cena com André Gonçalves, seu amigo de longa data, em cartaz no Rio (veja vídeo com cenas do espetáculo).

Para dirigir, a atriz convidou a cineasta Rosane Svartman, que faz sua estreia no teatro ao lado do também cineasta Lírio Ferreira: "Achei que a peça precisava da visão de um homem, então o chamei para entrar neste desafio comigo. Eu e o Lírio temos visões muito diferentes, mas que se completam. Foi um processo bastante empolgante", diz Rosane.

Depois de produzir muitos espetáculos infantis, Juliana achou que estava na hora de escolher um texto adulto para montar. Foi quando mergulhou de cabeça em todos os filmes e textos de Jabor até se deparar com "Eu te Amo": "Apesar de ter sido escrita há quase 30 anos, trata de questões atemporais porque aborda situações amorosas que todos nós vamos passar um dia".

A atriz conta que o diretor assistiu a alguns ensaios e diz que o consultou antes de fazer pequenas modificações na montagem: "Para contextualizar a peça, os personagens se conhecem em uma sala de bate-papo na internet e não na rua como no filme. Outra mudança foi a profissão do personagem do André, que no palco é um produtor de cinema falido e no longa trabalhava em uma loja de lingerie".

A direção também optou por não manter a sensualidade característica de Maria no filme. A mudança pode ser percebida também no figurino: "Ficamos na dúvida se optaríamos por roupas sensuais como as usadas pela Sônia Braga ou por algo mais engraçadinho, que é o vestido de baile de debutante. A gente quis transformá-la em uma mulher que qualquer uma da plateia pudesse ser e copiar, se quiser", comenta Juliana.

Rosane conta que não aceitou o convite para dirigir a peça de cara. Apesar de já ter escrito para o teatro em "Mais Uma Vez Amor", estrelada por Déborah Secco e Erom Cordeiro, a cineasta ficou reticente. Só com a rotina dos ensaios, a transformação diária que o espetáculo ia sofrendo e as conquistas, ela ficou mais confiante: "Adorei viver as dores e delícias de montar uma peça teatral, ainda estou pegando ar porque o processo é muito intenso", revela Rosane.

veja também