MENU

Lotérica em SP onde dois morreram já foi assaltada ao menos dez vezes

Lotérica em SP onde dois morreram já foi assaltada ao menos dez vezes

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 1:43

A lotérica invadida na tarde desta quarta-feira (23), na Avenida João Dias, Zona Sul de São Paulo, já foi assaltada dez vezes, segundo testemunhas. Duas pessoas morreram após um assalto ao local. Nesta quinta (24), a loja permaneceu fechada durante toda a manhã.

A perícia recolheu impressões digitais e o boné que um dos criminosos deixou cair durante o assalto. Toda a ação dos ladrões foi gravada por câmeras de segurança. Dois deles estavam no fim da fila quando um terceiro entrou e quebrou uma das câmeras.     Um dos criminosos foi para trás do balcão pegar o dinheiro. Do lado de fora, o policial aposentado, João Carlos Ribeiro, de 68 anos, armado, lutou com outro assaltante. Em seguida, o PM e o cliente, José Andrade de Souza, foram baleados.

Segundo testemunhas, o policial deu voz de prisão para os ladrões, mas não chegou a atirar. As vítimas morreram na hora. O dono da lotérica disse que quer mudar de ramo, pois cansou de trabalhar exposto a tanto risco.

A mulher de José Andrade de Souza, Edemilda dos Santos, passou a madrugada aflita, porque o marido saiu para trabalhar e não voltou. Só por volta das 5h, ela recebeu um telefonema do hospital. O pintor tinha três filhos com Edelmida e três do primeiro casamento. "Ele devia ter acabado de trabalhar e foi na lotérica, pagar alguma conta", disse.

Marcelo Ribeiro de Souza, filho da vítima, disse que não se conforma com o ocorrido. Ele contou que o pai era saudável e trabalhador. Tinha 60 anos e morreu em um dia de festa para a família, dia em que Rafael – um dos filhos – completou 21 anos.

Segundo o delegado Danilo Alexiades, lotéricas não possuem segurança adequada. “A lotérica é um estabelecimento que acaba atraindo a atenção dos bandidos porque ela não tem uma segurança adequada ao local. É um local que acaba recebendo muitos valores em dinheiro, até mesmo pelo pagamento de contas e até pelas apostas que são feitas. Então, em virtude da falta de segurança do local, de não haver cabines blindadas, esses bandidos acabam se utilizando para as práticas desses crimes.”

A Federação Brasileira dos Bancos não quis falar sobre a segurança das casas lotéricas. Já a Caixa Econômica Federal, responsável pelas lotéricas, diz que exige dos donos cofre, alarme e circuito de televisão e que contribui com uma remuneração mensal para que as casas invistam em segurança.      

veja também