MENU

Lula defende fim do bloqueio de Israel a Gaza e criação do Estado Palestino

Lula defende fim do bloqueio de Israel a Gaza e criação do Estado Palestino

Atualizado: Quinta-feira, 1 Julho de 2010 as 9:33

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quarta-feira (30), ao receber o presidente da Síria, Bashar Al-Assad, o fim do bloqueio de ajuda humanitária imposto por Israel à Faixa de Gaza. Lula classificou a relação entre o Brasil e os países árabes de ''prioritária'' e voltou a criticar o ataque de tropas israelenses a navios turcos, em maio deste ano.

''Consideramos que bloqueios não contribuem para a paz. O incidente com a flotilha humanitária, atacada em águas internacionais, mostra que é mais do que na hora de levantar o bloqueio a Gaza'', disse o presidente. Na madrugada do dia 31 de maio, militares de Israel interceptaram um comboio turco que tentava furar o bloqueio à Faixa de Gaza. A operação deixou nove mortos e dezenas de feridos.

Durante o brinde ao presidente sírio, Lula também defendeu a criação de um Estado Palestino ''independente, soberano, coeso, economicamente viável e que possa conviver com segurança e dignidade com Israel''. Lula afirmou que é preciso diálogo e ''moderação'' para solucionar os conflitos no Oriente Médio. ''Não haverá reconciliação verdadeira se houver vencedores e vencidos, temos urgência em ver a região pacificada, com todos os seus povos vivendo em harmonia'', disse. ''Levei essa exortação à moderação e ao compromisso em minhas visitas a Tel Aviv, Ramalá, Amã e Teerã''.

Lula também disse apoiar a devolução das Colinas de Golã à Síria. A região foi dominada por Israel em 1967 durante a Guerra dos Seis Dias. ''Apoiamos o princípio da ‘terra por paz’ para assegurar a devolução das Colinas de Golã à Síria'', afirmou.

''Empecilhos à paz''

O presidente sírio, por sua vez, defendeu o acordo com o Irã, protagonizado pelo Brasil, que prevê a troca de urânio enriquecido por combustível nuclear. Segundo ele, o acordo é um passo importante para solução do impasse a cerca do programa nuclear iraniano e mostra a ''boa vontade'' do país comandado por Mahmoud Ahmadinejad. ''Esse acordo mostra a disposição do Irã em negociar, enquanto Israel ameaça a paz na região com a posse de armas nucleares'', disse.

Segundo Bashar Al-Assad, o governo israelense impõe ''empecilhos'' para as negociações de paz no Oriente Médio com o ataque aos navios turcos e a imposição de bloqueios a Gaza. ''Israel sempre coloca empecilhos à paz, como o fez com o ataque à flotilha turca'', disse. Ele também agradeceu a postura do Brasil em relação às reivindicações dos palestinos. ''Nosso povo é grato pela posição do Brasil em relação à Palestina, que é o tema mais importante para o povo mulçumano'', afirmou.

Durante o encontro entre os presidentes brasileiro e turco, no Itamaraty, foi assinado um acordo que prevê a troca de pessoas condenadas. Assim, um brasileiro que tiver sido condenado na Síria, por exemplo, poderá cumprir a pena no Brasil.

veja também