MENU

Lula diz que meta até o final do ano é criar dois milhões de novos empregos

Lula diz que meta até o final do ano é criar dois milhões de novos empregos

Atualizado: Segunda-feira, 24 Maio de 2010 as 7:37

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva estabeleceu ao longo de seu programa de rádio ''Café com o presidente'', que foi ao ar na manhã desta segunda-feira (24), duas metas de governo: encerrar o ano com dois milhões de novos empregos e investir R$ 410 milhões no combate ao crack.

Lula iniciou o programa falando sobre seu encontro com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, e a repercussão de um acordo que ajudou a costurar. Os termos do acordo sobre segurança nuclear chegam nesta segunda à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena.

''É importante que o Brasil compreenda que não fomos lá para negociar acordo nuclear, não temos procuração para isso. Fomos tentar convencer o Irã a aceitar uma proposta feita pela Turquia e pelo Brasil, de sentar à mesa de negociações, e conseguimos. E a ONU queria fazer sanções exatamente porque o Irã não queria sentar para negociar, então, o Irã vai sentar para negociar'.

O presidente espera para esta segunda-feira que o Irã faça a sua parte no acordo. ''Hoje será entregue ao diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a carta que o presidente do Irã se comprometeu a entregar. Depois da carta vem conversas com a Agência, o depósito do urânio na Turquia, e, depois, o prazo para que o Irã receba urânio enriquecido''.

De acordo com Lula, ''foi dado um passo importante''. ''Precisamos falar mais em paz do que em desavenças, do que em guerras'', afirmou.

Empregos

Lula analisou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na semana passada.

''Até o dia 30 de abril criamos 962 mil novos empregos no país pelo Caged. Abril gerou 305 mil novos postos de trabalho. Estamos trabalhando com a hipótese de que cheguemos ao final do ano com dois milhões de empregos criados. Emprego gera salário. Salário gera poder de compra. Poder de compra gera mais produção industrial, venda no comércio, emprego. Há muito tempo não temos uma situação dessas''.

Para Lula, o país está no rumo certo. ''Se continuar assim, daremos um salto de qualidade para ser um dos países do mundo com o menor índice de desemprego''.

Crack

Por fim, o presidente detalhou o Plano de Combate ao Crack, e ressaltou a importância da integração entre os poderes para enfrentar este problema. Também prometeu injetar dinheiro para combater as drogas.

''Resolvemos construir parcerias com os governos dos estados e prefeituras. Fiz questão de dizer isso na Marcha dos Prefeitos, que um programa de combate ao crack, para dar certo, tem que ter a participação da prefeitura, porque é o prefeito que está lá, é o vereador que está lá, não é o presidente da República e nem o governador do estado''.

Lula afirmou que vai incrementar a luta contra as drogas. ''Vamos colocar R$ 410 milhões ainda este ano, para que a gente comece a formar pessoas especialistas para aprender a lidar com o crack, que é uma droga nova, devastadora . O plano vai envolver treinamento de profissionais na rede pública de saúde e assistência social para atender usuários e a família''.

veja também