MENU

Lula diz que vai transformar em ministério a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres

Lula diz que vai transformar em ministério a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres

Atualizado: Quarta-feira, 11 Março de 2009 as 12

Durante evento em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu na última segunda-feira, 9 de março, transformar a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres em ministério.

Segundo Lula, o status de ministério garante liberdade orçamentária que gera impacto direto na elaboração e execução de políticas públicas. O presidente estuda também transformar em ministério a Secretaria Especial dos Direitos Humanos.

Desde agosto ano passado, tramita no Congresso Nacional projeto de lei para criar o Ministério da Pesca, no lugar da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca. No início de 2008, Lula mudou o status do cargo do titular da Secretaria Especial de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial para ministro de Estado.

O presidente defende as secretarias e ministérios criados em seu governo. De acordo com Lula, quem achar que há um inchaço de cargos no governo federal que termine com eles quando assumir o governo. "Um país rico como esse tem mais é que criar tantas quantas secretarias forem necessárias para atender a demanda da sociedade", disse.

Lula rebateu também as críticas por ter distribuído camisinhas durante o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. O presidente justificou que seria um fingimento afirmar que a adoção do preservativo não traz benefícios para a população.

"Não posso como pai e presidente da República fingir que distribuir preservativo é ruim. Quem sabe o que significa o que é a aids, tem mais é que levantar a cabeça e falar o governo tem que tratar dessas coisas", disse na abertura do Seminário Mais Mulheres no Poder, no Memorial Juscelino Kubitschek.

Ao falar da importância da mulher na sociedade, Lula afirmou ser "um cinismo cultural do mundo" menosprezar a contribuição das mulheres que deixam de trabalhar para cuidar dos filhos. Segundo ele, se o trabalho doméstico fosse bom, o homem assumiria essa tarefa e não a mulher.

Na chegada ao evento, Lula elogiou a atuação do jogador Ronaldo, do Corinthians, que fez um gol de cabeça em jogo contra o Palmeiras no domingo, 8. Segundo Lula, apesar de estar fora de forma, o jogador tem garra e merece reconhecimento. "Ele jogou cinco minutos, pegou cinco bolas e foi o melhor de todos", disse o presidente, que é torcedor corintiano.

veja também