MENU

Macaco 'fujão' invade casas e assusta moradores na Grande SP

Macaco 'fujão' invade casas e assusta moradores na Grande SP

Atualizado: Terça-feira, 17 Agosto de 2010 as 8:17

Um macaco-prego de meio metro de altura tem dado um baile em moradores da Rua Severino Zacarelli, no bairro Vila Real, em Mauá, na Grande São Paulo. Após fugir do criadouro de um hotel próximo às casas na sexta-feira, ele ainda causava transtornos a habitantes e despertava a atenção de curiosos nesta segunda-feira (16).

A Guarda Municipal até tentou recapturar 'Chico Manco' durante a manhã, mas não conseguiu. E deixou alguns vizinhos preocupados com mais uma noite de "perturbações".

"Não dormi esta noite. Às 2h, ele começou a destelhar minha casa, em cima do meu quarto. Às 7h, quando saí para olhar, ele ainda jogou telhas em mim”, contou a dona de casa Nair José de Almeida, de 59 anos.

O macaco entrou em pelo menos sete casas, segundo os moradores, que têm medo de sua agressividade. “Ele vem atrás de comida e quando está com fome é agressivo, principalmente com crianças. Fiquei com medo de ele atacar meu filho de um ano e cinco meses quando invadiu minha casa”, relatou a dona de casa Lúcia de Almeida, de 28 anos.

Segundo uma outra moradora, é a terceira vez que um macaco foge do hotel. E ela disse lembrar bem da última. “Quando cheguei em casa, estava tudo destruído. Ele rasgou minha cortina, fez xixi na cama e ficou umas quatro horas até conseguirem tira-lo de lá”, lembrou Fabiana da Silva, de 30 anos

Chico Manco vive num criadouro de um hotel que fica nos fundos da área residencial. Segundo os moradores, um funcionário do criadouro foi até o bairro no sábado (14) colocar uma armadilha para recapturar o animal. Sem sucesso, prometeu voltar depois, o que não ocorreu.

Na tentativa de retirar o macaco, Lúcia ligou para o Ibama, que pediu que ela ligasse para a Polícia Ambiental de Mauá. A polícia foi até o local, mas também não conseguiu capturá-lo.

O G1 foi até o hotel que mantém o criadouro e conversou com o gerente do Estância de Santa Luzia. Ele disse que há um criadouro com cerca de 260 animais. E que todos são oriundos de apreensões do Ibama por maus-tratos ou em operações de tráfico. “Chico Manco é um macaco-prego que está sendo cuidado por nós. Ele tem uma placa na perna, por isso o nome, e fugiu depois que um galho de árvore caiu no recinto dos macacos. Oito fugiram e só ele ainda não foi recapturado”, afirmou José Roberto Natalício.

A veterinária do criadouro disse que os macacos não são agressivos se não forem incomodados. “Nós vamos recapturar o macaco porque o Ibama não tem gente suficiente para isso e a Polícia Ambiental não tem recursos. A única maneira de pegá-lo de volta é com armadilhas com comida”, disse a veterinária Natália Andrade.

“Orientamos os moradores a não dar comida a ele. Se ele está lá, é porque está sendo alimentado”, completou.

Até o final da tarde, Chico Manco ainda não havia sido pego.

Postado por: Thatiane de Souza

veja também