MENU

Mãe de bebê que morreu de dengue no RJ reclama de demora de exame

Mãe de bebê que morreu de dengue no RJ reclama de demora de exame

Atualizado: Segunda-feira, 21 Março de 2011 as 2:38

A mãe do bebê que morreu de dengue hemorrágica no último sábado (19) vê a demora no diagnóstico da dengue como o principal causador da morte da filha, de quatro meses. Bianca Pique Araújo conta que afirma que a doença da filha chegou a ser diagnosticada como virose.

“A dengue pra ser diagnosticada ela demora muito. Acredito que isso que prejudique o tratamento”, desabafou Bianca, nesta segunda-feira (21), um dia depois do enterro da filha, no Cemitério do Caju, Zona Portuária do Rio.

Quatro dias entre sintomas e morte

Segundo ela, o bebê começou a apresentar os sintomas na terça-feira (15), com febre e manchas no corpo. “Mas o primeiro diagnóstico foi virose, porque as plaquetas estavam altas e elas só vieram a cair na sexta–feira”, contou Bianca. Agentes de saúde estiveram na casa da família nesta segunda. Emocionada, Bianca disse que a filha era “gordinha” e “muito esperta”. Saiba reconhecer os sintomas da dengue.

15 mortes no RJ

Com a morte do bebê, já são 15 pessoas mortas pela doença no estado, somente este ano. A menina estava internada no Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão, na Zona Norte da cidade. A informação da morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde informou que já são 20.150 casos suspeitos de dengue em todo o estado, desde o dia 2 de janeiro até o dia 12 de março. Procurada pelo G1, a Secretaria estadual de Saúde não confirmou a informação, alegando que o balanço do estado só é divulgado às quartas-feiras.

A Secretaria municipal de Saúde estendeu os dias e horário de funcionamento em 11 postos de saúde localizados em áreas com maior incidência de dengue. Os postos passam a abrir todos os dias da semana (inclusive sábados e domingos), das 8h às 20h. Somente a Policlínica Augusto Amaral Peixoto, em Guadalupe, não funcionará aos domingos.

Municípios com epidemia

Quatro municípios do estado do Rio de Janeiro já apresentam casos localizados de epidemia de dengue, de acordo com informações confirmadas pela Secretaria estadual de Saúde na última quarta-feira (16). O município com maior taxa de incidência é Bom Jesus de Itabapoana, no Noroeste Fluminense, com 2.447,4 casos por 100 mil habitantes. Outros municípios em alerta são: Cantagalo (1.321,5 casos/100 mil habitantes), no Norte Fluminense, Santo Antonio de Pádua (1.158,5 casos/100 mil habitantes), no Noroeste do estado, e Magé (599,6 casos/100 mil habitantes), na Baixada Fluminense.

Número de óbitos dobrou

Os municípios que registraram os casos de morte foram: Nova Iguaçu (1), Magé (1), Cabo Frio (1), São Gonçalo (2), Maricá (1), Rio de Janeiro (6), São João do Meriti (2) e São José do Vale do Rio Preto (1). Nos dois primeiros meses de 2011, a subsecretaria havia informado que sete pessoas já haviam morrido por causa da dengue. De acordo com os novos números divulgados, o número de óbitos dobrou em apenas 15 dias.

13 bairros do Rio estão com surto

Até a última quinta-feira (17), foram registrados mais de sete mil casos de dengue no Rio. Treze bairros estão com surto da doença, quando há mais de 300 casos por cada cem mil habitantes.

Em Pedra de Guaratiba, já são 1.119,3 casos/ 100 mil habitantes.

Os bairros de Saúde, Barra de Guaratiba, Catumbi, Bonsucesso, Anil, Centro, Cocotá, Acari, Santa Teresa, Santo Cristo, Paquetá e Rio Comprido também estão com surto, segundo dados da Secretaria municipal de Saúde.        

veja também